Amazon inicia testes para começar a vender livros físicos no Brasil

Por Redação | 20 de Agosto de 2014 às 15h19
photo_camera Divulgação

Falta pouco para a Amazon começar a vender livros físicos no Brasil. Segundo a coluna de Lauro Jardim, do blog Radar on-line, da revista VEJA, a companhia deve fazer o anúncio oficial desse novo passo em sua operação no país agora durante a 22ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que começa nesta quinta-feira (21) e vai até o dia 31 de agosto.

Os rumores sobre a comercialização de livros em papel pela Amazon não são recentes. Começaram em abril, depois passaram para maio, mas ganharam força na semana passada, quando a mesma coluna da VEJA publicou uma nota dizendo que a novidade chegaria definitivamente ao Brasil até o final deste mês – uma promessa que vem desde que a companhia desembarcou em território nacional, em 2012.

Contudo, vários usuários que acessaram o site brasileiro da Amazon nesta semana teriam encontrado diversos livros físicos disponíveis à venda, incluindo informações como dados completos do autor, sinopse e seus respectivos preços. O único problema é que, quando o consumidor tentava comprar um desses livros, o clique o redirecionava para a página do título em sua versão digital (e-book). Procurada para comentar o assunto, a Amazon disse que está fazendo testes antes de liberar para todos os clientes a venda de livros impressos. Não foram divulgadas datas para que isso aconteça.

Um dos motivos que teriam atrasado a chegada dos livros em papel na loja brasileira da Amazon seria os desafios logísticos do mercado brasileiro. Segundo uma reportagem do jornal Folha de São Paulo, os contratos com as principais editoras do país já haviam sido fechados em março deste ano, mas a empresa não teria recebido todos os livros enviados para o depósito em São Paulo por um problema de ordem logística.

Um mês antes, em fevereiro, o presidente da Amazon no Brasil, Alex Szapiro, reforçou sua visão de que a companhia só entra em um novo mercado quando pode garantir um atendimento que melhore a experiência do cliente – ou seja, produtos físicos serão ofertados aos consumidores apenas quando essas questões de logística forem resolvidas. Na época, o executivo comentou que a empresa tem batido recordes semanais de vendas, mesmo sem revelar números mais precisos.

O lançamento de livros físicos pela gigante do varejo norte-americano é o primeiro passo da empresa para a venda de produtos físicos, já que outros itens além de títulos literários devem fazer parte do portfólio da entidade por aqui. Nos Estados Unidos, além do mercado de livros e e-books, a companhia atua como um centro de distribuição de diversos departamentos, incluindo produtos como vestuário (roupas, calçados, acessórios), aparelhos eletrônicos (TVs, smartphones, tablets, notebooks, consoles), jogos de videogame, CDs, DVDs e outros itens.

A Amazon iniciou sua operação no Brasil em dezembro de 2012 e, pouco tempo depois, trouxe oficialmente ao país o leitor de livros digitais Kindle, que também é encontrado em outros estabelecimentos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.