Amazon Fire Phone: como ele se sai se comparado ao Galaxy S5,iPhone 5S e outros?

Por Redação | 19 de Junho de 2014 às 17h20

A Amazon anunciou ontem o Fire Phone, sua aposta para entrar na briga dos smartphones. Os rumores já vinham circulando há um bom tempo, e finalmente nesta quarta (19), as coisas se confirmaram.

O telefone é bem peculiar e a palavra mais certa para descrevê-lo é "diferente". Diferente em muito do que temos visto ultimamente com o Android, Windows Phone e iOS.

O desenvolvimento do Fire Phone demorou vários anos e a Amazon, agora, entra de cabeça na guerra dos dispositivos móveis com alguns recursos bem únicos, como a perspectiva dinâmica, que utiliza várias câmeras e sensore infravermelho para detectar a cabeça do usuário, fora as opções que tornam o aparelho um instrumento para compras compulsivas.

Mas, e como ele se sai comparado com seus principais concorrentes? O pessoal do The Verge fez uma análise das principais características do smartphone da Amazon, lado a lado com o Galaxy S5, iPhone 5S, HTC One M8, Moto X e o Lumia Icon, da Nokia.

Tela

A tela tem 4,7 polegadas, ou seja, do mesmo tamanho do Moto X e do futuro iPhone 6, um meio termo entre ser prático de usar com uma mão com uma tela de tamanho considerável. A resolução é HD, com uma densidade de pixels de 315 ppi. Essa densidade é agradável e é um pouco menor do que a do iPhone 5S (326 ppi), mas é bem inferior às densidades dos outros concorrentes, como o S5 e o HTC One M8, que tem resoluções absurdamente altas.

Uma característica interessante é que a tela tem um polarizador de luz, o que ajuda a diminuir os reflexos, principalmente para quem usa óculos escuros com bastante frequência.

Design

Tirando a câmera com visual meio estranho, a aparência do Fire Phone é bem “mediana”: vidro cobrindo tanto a parte frontal quanto a traseira e borracha nas laterais. Ou seja, nada de inovador ou que chame a atenção do consumidor pela beleza.

E também, deve-se levar em conta que o Nexus 4 também tinha um design similar, com vidro nos dois lados, o que desagradou muita gente, principalmente porque é bem suscetível a rachaduras.

Bluetooth, WiFi e som

Tem coisas na área de tecnologia que são difíceis de imaginar os motivos. A Amazon, por alguma razão obscura, resolveu não colocar o Bluetooth 4.0 LE (Low Energy), que é "somente" peça chave para a próxima leva de smartwatches e outros dispositivos vestiveis que deverão chegar ao mercado nos próximos anos.

Já o WiFi, pelo menos, será rápido, porque suportará o novo padrão de conectividade 802.11ac, que proporciona velocidades maiores.

Outro ponto que a Amazon deu destaque foi ao som do aparelho, com a inclusão de um alto falante estéreo com Dolby Digital Plus virtual surround. Com certeza, a qualidade do som será bem maior do que no iPhone ou Galaxy S5, mas resta saber como será contra o HTC One M8, que também tem um som muito bom.

Câmera

A câmera do aparelho é de 13 megapixels, ou seja, na média do mercado, e vem com estabilização óptica de imagem, o que deve proporcionar fotos boas em situações que os concorrentes ficarão para trás. Durante a apresentação do telefone, foram colocadas imagens comparativas entre a câmera do Fire Phone, do S5 e do iPhone 5S, e obviamente as fotos tiradas com o smartphone da Amazon eram melhores.

Câmera Fire Phone

Mas para poder dar o veredito final, só colocando os aparelhos lado a lado e tirando fotos em diferentes situações. De antemão, a câmera deve ser pelo menos satisfatória, então esse não deve ser um fator negativo para o Fire. Um recurso interessante é o botão dedicado para a câmera, na lateral do telefone, além do backup automático e gratuito de todas as fotos na nuvem. Isso mesmo: a Amazon oferecerá armazenamento ilimitado para as fotos.

Processador

O telefone vem com um Snapdragon 800 da Qualcomm, de quatro núcleos a 2.2 GHz, o que deixa ele uma geração atrás dos concorrentes, que estão vindo com o Snapdragon 801, mais potente.

De imediato, os usuários finais não devem sentir muito a diferença, principalmente se o sistema operacional da Amazon, o Fire OS, rodar de maneira suave e leve. Mas colocando um processador já atrasado, o aparelho se tornará obsoleto mais rapidamente. O telefone só deve chegar aos consumidores daqui a pelo menos 1 mês, e em breve já chegarão smartphones com o Snapdragon 805 no mercado.

Aplicativos

Esse provavelmente será o calcanhar de Aquiles do smartphone, e pode ser um fator determinante para barrar o seu sucesso. Apesar do Fire OS ser uma versão (bastante) modificada do Android, ele não tem acesso aos serviços do Google. Então pode esquecer Gmail, Google Docs, Google Maps, Hangouts, Google Now, Google Calendário, Google+ e tudo o mais pelos meios convencionais.

Essa é uma má notícia para quem utiliza todos os serviços do Google, e pode ser um fator determinante para alguém decidir não comprá-lo.

Os principais aplicativos, como Facebook, Twitter e Spotify já estão presentes no sistema, mas outros como o WhatsApp ainda não chegaram à loja da Amazon (a empresa prometeu ter em breve o app de mensagens).

Além da falta dos serviços do Google, deve demorar um tempo para aplicativos lançados na Play Store chegarem à loja da Amazon – isso se chegarem.

Mas nem tudo é problema nesse quesito. Quem comprar o aparelho terá 1 ano grátis do Amazon Prime, serviço que oferece streaming ilimitado de mais de 40 mil filmes, mais de 1 milhão de músicas, além de outras vantagens. O serviço custa 99 dólares anuais.

As comparações com os concorrentes terminam por aí, porque todo o resto do aparelho é meio inédito. Resta saber se os recursos extras como a perspectiva dinâmica e os serviços da Amazon farão os consumidores escolherem ele ao invés do iPhone ou dos smartphones com Android e Windows Phone.

Inicialmente, o aparelho será vendido apenas nos EUA, e uma expansão para a Europa é plausível. Mas achamos difícil ele chegar aqui no Brasil – ou caso chegue, os recursos inovadores que dependem dos serviços da Amazon deverão estar ausentes.

Em setembro a Apple lança o novo iPhone 6, com tela de 4.7 polegadas, e que analistas afirmam que será uma explosão de vendas. A briga pelos consumidores será bem interessante, e só o tempo dirá se a Amazon vai conseguir ser um jogador forte no mercado.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.