Alta nas vendas de smartphones e serviços cloud alavanca receita da Microsoft

Por Redação | 24 de Outubro de 2014 às 12h00

A Microsoft apresentou nesta quinta-feira (23) os resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre do ano fiscal de 2014 da empresa. Os números foram animadores e a empresa teve um faturamento acima do esperado por analistas.

A alta nas vendas de smartphones com Windows Phone, além do aumento nas vendas dos tablets Surface e de produtos de computação na nuvem para empresas, contribuíram para o faturamento de US$ 23,2 bilhões apresentado. A expectativa era que a empresa anunciasse algo em torno de US$ 22 bilhões.

O número apresentado, inclusive, representa um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. A alta se deve graças à compra da divisão de smartphones da Nokia, que mostra estar dando resultado - ao todo, foram vendidas 9,3 milhões de unidades de Lumias. Já os tablets Surface aparentam não ser um negócio tão ruim assim, já que gerou quase US$ 1 bilhão em receita para a empresa - contra US$ 400 milhões há 1 ano.

O lucro líquido foi de US$ 4,5 bilhões, abaixo dos US$ 5,2 bilhões do trimestre correspondente do ano passado. No entanto, a empresa pagou cerca de US$ 1,1 bilhão em compensações pela demissão de cerca de 18 mil funcionários, boa parte deles da Nokia.

Redmond conseguiu aumentar o faturamento e manter sua margem de lucro, uma das altas das empresas de tecnologia. Além disso, os investidores estavam apreensivos, porque tanto IBM quanto SAP apresentaram resultados abaixo do esperado, enfrentando problemas em manter os lucros operacionais no mercado de computação na nuvem, cujas margens costumam ser mais baixas.

“Com os resultados negativos apresentados recentemente por nomes fortes como Oracle, IBM, SAP, VMware e EMC, a Microsoft fugiu à tendência e nós consideramos os resultados de setembro como uma conquista sólida”, afirmou Daniel Ives, um analista da empresa FBR Capital Markets, à Reuters.

O segmento de cloud teve crescimento de 128%, segundo a companhia, apesar de não revelar os números. Mais importante ainda, o lucro bruto da plataforma Azure cresceu 191%, apesar do aumento dos custos com infraestrutura.

Segundo Rick Sherlund, analista da empresa Nomura, a divisão de computação na nuvem da companhia norte-americana deve alcançar US$ 6 bilhões em faturamento, o que tornará a Microsoft a maior do mercado no ramo.

Fonte: http://www.reuters.com/article/2014/10/23/us-microsoft-results-idUSKCN0IC2EZ20141023?feedType=RSS&feedName=technologyNews

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.