Aeronave que transportava Eduardo Campos é uma das mais modernas do mundo

Por Redação | 13 de Agosto de 2014 às 18h29
photo_camera Divulgação

O avião que transportava o ex-governador de Pernambuco e candidato do Partido Socialista Brasileiro (PSB) à presidência da República, Eduardo Campos, era um modelo bimotor Cessna 560 XL prefixo PR-AFA, da Cessna Finance Export Corporation e operado pela empresa AF Andrade Empreendimentos e Participações LTDA, com sede em Ribeirão Preto, em São Paulo. De acordo com o Valor Econômico, a aeronave que transportava Campos estava em situação regular, com "todos os certificados em dia".

Lançado em 1996, o jato traz várias tecnologias embarcadas e é muito usado por executivos e celebridades. Ele pode alcançar velocidades de até 815 quilômetros por hora, tem envergadura de 17 metros, comprimento total de 16 metros e é capaz de comportar, entre carga e passageiros, aproximadamente 3 toneladas. Além disso, o jato conta com vários equipamentos de segurança, entre eles um sistema de anticolisão de tráfego (TCAS, na sigla em inglês). O modelo custa cerca de US$ 10 milhões.

A série 560 XL da Cessna utiliza um par de propulsores turbofan Pratt & Whitney PW545C e tem autonomia para voar até 3.441 km, podendo ir de São Paulo até Lima, no Peru, sem escalas. Para decolar, o veículo requer no mínimo 3 mil pés ou 1.200 metros de pista, medidas consideradas pequenas por especialistas.

A Cessna responde por cerca de 25% da frota brasileira de aviões executivos que voam no Brasil. Segundo o anuário 2014 da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), a Cessna Aircraft somava em 31 de dezembro 3.661 aeronaves no Brasil, número 7% maior que o registrado em 2012. Segundo a Abag, a frota brasileira de aeronaves executivas - jatos, turboélices e helicópteros - somou em 2013 um total de 14.639 unidades.

Cessna 560 XL

Considerada segura, aeronave Cessna 560 XL é usada por executivos e custa cerca de US$ 10 milhões. (Foto: Divulgação/Cessna)

O acidente

Por volta das 10h desta quarta-feira (13) em Santos, a aeronave que transportava Eduardo Campos e mais sete pessoas vinha do Rio de Janeiro com destino ao Guarujá, a 86 km de São Paulo. Segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), morreram, além de Campos, os pilotos Geraldo Cunha e Marcos Martins, o assessor de imprensa Carlos Augusto Leal Filho, o fotógrafo Alexandre Severo Gomes e Silva, o cinegrafista Marcelo Lira e ainda Pedro Valadares Neto.

No momento do acidente chovia e ventava bastante. O UOL informa que o jato caiu entre as ruas Alexandre Herculano e Vahia de Abreu, no bairro do Boqueirão, na zona leste de Santos, atingindo oito casas - duas delas correm o risco de desabar. Segundo informações da Santa Casa de Misericórdia de Santos, seis pessoas da região atingida pela aeronave foram encaminhadas a hospitais com ferimentos leves.

Terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto, Campos, ex-governador de Pernambuco, tinha compromissos de campanha no litoral paulista nesta quarta. À tarde, ele participaria do Fórum Internacional para a Expansão do Porto de Santos. A candidata a vice, Marina Silva, não estava na aeronave. A ex-ministra do Meio Ambiente embarcaria com Campos no Rio, mas acabou viajando para São Paulo com assessores em um avião de carreira.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.