Adeus, Nokia: Microsoft passa a assinar apenas a marca Lumia

Por Redação | 21.10.2014 às 14:26 - atualizado em 21.10.2014 às 20:45
photo_camera Divulgação

Pouco mais de um ano após ser adquirida pela Microsoft por 5,44 bilhões de euros (US$ 7,2 bilhões), a divisão de dispositivos móveis da Nokia começa a sofrer mudanças realmente significativas que prometem moldar um novo caminho em sua história. E uma delas vai acabar com o nome da companhia finlandesa nos smartphones da fabricante, que deixará de usar "Nokia" para dar espaço ao "Microsoft Lumia".

A informação foi veiculada às páginas da Nokia da França no Facebook e no Twitter, e confirmada pela Microsoft ao site The Verge. "Estamos prestes a nos tornar 'Microsoft Lumia'", comentou a finlandesa nas redes sociais. A empresa ainda disse que as alterações de nome da marca vão acontecer em todos os países onde os aparelhos da entidade são vendidos.

A estratégia da Microsoft já era esperada, uma vez que a companhia mudou uma série de elementos em seu catálogo de produtos que ainda carregavam a marca Nokia. Algumas das mudanças incluem aplicativos da Windows Phone Store, como o Treasure Tag e o App Social, além dos sites oficiais da finlandesa em alguns países, que já direcionam o usuário para a página da gigante norte-americana. Isso sem contar a criação da Microsoft Mobile, uma divisão específica que irá substituir a marca Nokia definitivamente nos próximos lançamentos de celulares da organização.

Mesmo após concluir, em abril deste ano, a transação bilionária que envolveu a compra da Nokia, a Microsoft continou usando o nome da finlandesa em produtos recentes, pelo menos até o mês passado. Na época, durante a feira de tecnologia IFA, em Berlim (Alemanha), a empresa lançou os Lumias 730 e 830, ambos ainda sob a batuta da Nokia e com o logo da companhia escrito na carcaça dos dispositivos. No entanto, estes podem ter sido os últimos gadgets a contar com esse detalhe.

Lumia 830

Lumia 830 pode ser um dos últimos smartphones com a marca Nokia (Foto: Divulgação)

Talvez os usuários mais saudosistas que já tiveram ou têm um aparelho da Nokia não gostem muito das mudanças que irão extinguir a marca. Por outro lado, esta é uma alteração necessária e com o objetivo de simplificar os smartphones da empresa, mesmo agora com outro nome. Inclusive, a Microsoft deixou até de usar "Windows Phone" para se referir ao seu sistema operacional móvel, se limitando apenas a noemá-lo "Windows", mesmo antes do anúncio do Windows 10, que unirá as plataformas mobile e para PCs.

Em julho, a Microsoft confirmou a demissão de 18 mil funcionários ao redor do mundo, sendo que, dessa quantidade, 12,5 mil são da Nokia. Os demitidos serão informados com antecedência ao longo dos próximos seis meses, e a operação deve se completar entre o final deste ano e começo de 2015 – as demissões não devem afetar a unidade brasileira da empresa. O custo total da reestruturação será entre US$ 1,1 bilhão e US$ 1,6 bilhão durante os próximos quatro trimestres.