Ações da Apple têm queda repentina e apavoram mercado financeiro

Por Redação | 02 de Dezembro de 2014 às 12h36

Uma queda repentina e bastante brusca nas ações da Apple no final do pregão desta segunda-feira (01) deixou muita gente de cabelo em pé. De repente, e aparentemente sem motivo algum, os papéis da companhia caíram quase 6%, chegando a custar cerca de US$ 114 antes de fechar o dia valendo US$ 115,07, uma redução de 3,25%.

A imprensa entrou em polvorosa principalmente porque não houve nenhum anúncio feito pela empresa ou notícia negativa publicada. Na tarde desta segunda, começaram a pipocar com mais força os relatos de mais um possível problema de hardware no iPhone 6, com a câmera frontal do aparelho se deslocando de sua posição original. Mas, ainda assim, seria um detalhe e algo insuficiente para motivar uma queda tão brusca nos valores das ações.

Alguns especialistas, citados pelo site Mac Life, apontam uma expectativa negativa quanto às vendas da Black Friday, que foi realizada na última sexta-feira (28). A temporada de descontos é essencial para qualquer empresa, principalmente as de tecnologia, mas a ideia de que o iPhone 6 não teria se saído bem justamente nesse dia seria algo catastrófico para a Maçã. Por outro lado, ainda é cedo para falar nisso e, pelo menos por enquanto, não existe nenhum indício desse tipo de situação.

Quem deu a dica do que provavelmente aconteceu foi o analista Steve Hammer, especialista em Bolsa de Valores da HFT Alert, uma consultoria de mercado financeiro. Em entrevista à Reuters, ele disse que a ativação de algoritmos de venda automática de ação teria sido a responsável pela queda repentina, tornando as ações da Apple uma das mais vendidas do dia e trazendo seu valor para baixo justamente devido à alta demanda de papéis.

Segundo o analista, é comum que softwares automáticos “arruínem” boas sequências de altas em ações, principalmente quando se trata de empresas de tecnologia, que têm alta volatilidade. O mesmo fator também teria causado baixas nos valores dos papéis do Facebook (-2%), LinkedIn (-4%) e Twitter (-5%) sem que nenhuma notícia negativa sobre as redes sociais tenha sido divulgada na imprensa.

No total, 64 milhões de cotas da Apple foram negociadas na tarde de ontem. Agora, o mercado aguarda os resultados desta terça-feira (02), com expectativa de recuperação após a abertura do pregão.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.