Acionistas pressionam saída de Bill Gates da Microsoft

Por Redação | 02.10.2013 às 11:25

Três dos 20 maiores investidores da Microsoft estão tentando forçar a saída de Bill Gates do posto de chairman da Microsoft, empresa que ajudou a fundar 38 anos atrás, de acordo com fontes do The Guardian.

Steve Ballmer, atual CEO que já anunciou sua aposentadoria para o ano que vem, vinha sofrendo pressão há anos, enquanto os acionistas assistiam as ações da Microsoft valorizarem menos do que as concorrentes Apple e Google, mas esta parece ser a primeira vez que Gates é alvo dessa pressão.

Bill Gates é ainda hoje uma das figuras mais respeitadas do mundo da tecnologia. Não há indícios de que os outros acionistas ou a diretoria da empresa irão ceder aos pedidos dos três investidores, que juntos possuem apenas 5% das ações da empresa. Atualmente, Gates possui 4,5% das ações da Microsoft, sendo o maior acionista individual.

Os três investidores estão preocupados que a presença de Bill Gates na diretoria poderia bloquear a adoção de novas estratégias e limitar o poder do novo chefe-executivo de fazer mudanças necessárias na Microsoft. Mais especificamente, a preocupação é sobre o papel de Gates em ajudar a encontrar o sucessor de Steve Ballmer.

Bill Gates já chegou a possuir 49% da Microsoft antes da empresa se tornar pública em 1986. O ex-CEO vende cerca de 80 milhões de ações da Microsoft por ano em um plano pessoal pré-definido e, se manter esse plano até 2018, deve ficar sem nenhuma participação na companhia que ajudou a fundar.

Por isso, há também a preocupação de que o filantropo exerça um poder desproporcional ao correspondente à sua fatia de ações. Gates abandonou o posto de chefe-executivo, nomeando Steve Ballmer o novo CEO em 2000, e hoje gasta a maior parte do seu tempo focado na Fundação Bill & Melinda Gates.

Um novo momento para a Microsoft

Com o anúncio da saída de Steve Ballmer em agosto do ano que vem, a Microsoft já procura o seu substituto, que liderará a gigante do software nos próximos anos e ditará se a gigante de Redmond continuará os planos de Ballmer em produzir dispositivos, como o Surface e o Xbox, se tornando mais do que uma empresa de software.

A notícia de que Gates estaria sendo pressionado a abandonar seu cargo de chairman vem dividindo opiniões entre os acionistas, mas a maioria parece ainda estar ao lado de Gates, enquanto alguns sugerem até que ele deveria desempenhar um papel ainda maior com a saída de Ballmer.

Atualmente, a Microsoft enfrenta um grande desafio no mercado, principalmente no setor de dispositivos móveis, onde ainda não consegue competir de frente com Apple e Google, com seus sistemas iOS e Android.

O Windows e o ainda rentável Office podem não ser capazes de segurar os lucros da Microsoft por muito tempo, com a queda nas vendas de PCs e os aumentos nas vendas de smartphones e tablets.