Acionista acusa IBM de fraude na venda de fábrica de chips

Por Redação | 03.03.2015 às 17:00

Um negócio já bastante negativo para a IBM, realizado em outubro do ano passado, continua causando dor de cabeça para a empresa. Nesta semana veio a informação de que um acionista está processando a companhia e a acusando de fraude por não ter sido completamente transparente na venda de uma unidade de semicondutores para a GlobalFoundries.

Na ocasião, afirma o processo, a “Big Blue” teria evitado falar em números e não declarou aos investidores o tamanho do rombo que a fábrica em questão vinha gerando. Na época, a empresa teria falado apenas em perda de dinheiro antes de realizar a transferência da propriedade a um custo de cerca de US$ 1,5 bilhão - um valor dividido em parcelas que serão acertadas até 2017.

Na acusação, consta a hipótese de que a venda não deveria ter ultrapassado o valor de US$ 1 bilhão, caso contrário representaria prejuízos graves para a IBM. Esse seria, inclusive, o acordo feito entre os investidores, que teriam sido ignorados pela empresa em mais uma decisão considerada equivocada de sua gerência, que trabalha em uma conturbada mudança do setor de infraestrutura física para as arquiteturas de computação nas nuvens.

O investidor afirma, agora, que o negócio não apenas teria sido responsável pela queda de 4% no faturamento do período e em taxas de US$ 4,7 bilhões pagas ao governo, mas também por uma queda brusca nos valores das ações. Mais do que isso, no processo constam indícios de que a companhia teria inflado artificialmente os preços dos papéis, um movimento que não deu certo e acabou gerando ainda mais perdas.

Entre os citados no caso está, inclusive, a própria CEO da IBM, Virginia Rometty. Ela vem sofrendo forte pressão dos acionistas devido à situação atual da companhia e as mudanças atribuladas de paradigma. Agora, ela deve comparecer para prestar esclarecimentos diante da justiça americana, em data ainda a ser marcada.

Também permanece sob segredo de justiça, segundo as informações do site IT News, exatamente que tipo de compensação está sendo pedida pelos acionistas. Sabe-se, no entanto, que se trata de uma ação de classe, ou seja, mesmo os investidores que não participam da disputa teriam direito a receber em caso de vitória. Além disso, os reembolsos seriam relativos a um período entre abril e outubro de 2014, justamente o envolvido na negociação.

O negócio faz parte de um movimento que também envolveu a venda da divisão de servidores x86 para a Lenovo, uma parceira antiga que, em 2005, já havia adquirido seu setor de notebooks e computadores pessoais.

A IBM não se pronunciou oficialmente sobre a ação.