Ex-CEO da Nokia, Stephen Elop pode assumir a Microsoft

Por Redação | 03.09.2013 às 13:09 - atualizado em 03.09.2013 às 14:25

Depois de desembolsar cerca de US$ 7,17 bilhões na compra da divisão de aparelhos e serviços da Nokia, a Microsoft finalmente tem um candidato óbvio para liderar a empresa assim que o CEO Steve Ballmer desocupar a cadeira: Stephen Elop, ex-CEO da empresa finlandesa e velho conhecido da Microsoft.

Após a transação entre as duas companhias, Elop não é mais o presidente executivo da Nokia, mas sim vice-presidente da divisão de dispositivos e serviços da Microsoft. A aquisição coloca Elop, que já chefiou a divisão de negócios da Microsoft, à frente de vários candidatos ao maior cargo da empresa de Redmond.

De acordo com uma entrevista do próprio Steve Ballmer ao The Seattles Times, "Elop passou de candidato externo a interno", e com isso suas chances aumentam consideravelmente.

O nome de Elop já havia surgido recentemente como um dos possíveis sucessores de Ballmer, que anunciou no mês passado que iria se aposentar nos próximos 12 meses. Porém, o atual CEO da Microsoft disse ao jornal norte-americano que o acordo com a Nokia foi fechado para "acelerar os dispositivos e serviços" da companhia, e não para acelerar a escolha de seu sucessor.

Mas nem todos são favoráveis à candidatura. O AllThingsD destaca que alguns críticos dizem que ele não corrigiu os problemas da Nokia, ou qualquer outro que tenha aparecido durante sua longa carreira no mercado de tecnologia, mas por outro lado existem aqueles que o apontam como favorito.

Quem é Stephen Elop?

Em sua carreira, Elop já passou por uma série de empresas de tecnologia, incluindo a Macromedia, Adobe e Juniper Networks. Entre 2008 e 2010, ele trabalhou para a Microsoft, como chefe da divisão de negócios da companhia, onde era responsável por produtos rentáveis como o Microsoft Office.

Em setembro de 2010, Elop deixou a empresa de Redmond para assumir o cargo de CEO da Nokia, tornando-se o primeiro diretor não-finlandês em toda a história da fabricante. Elop foi o principal responsável pelo acordo para utilização do sistema operacional Windows Phone nos aparelhos da Nokia, o que gerou uma série de suspeitas em relação a sua ligação com a empresa onde trabalhava – isso sem contar o fato de que Elop ainda detinha uma parte significativa das ações da Microsoft.

As tentativas de Elop para colocar a Nokia na corrida dos smartphones usando o Windows Phone começou a ser questionada por muitos acionistas. Durante uma reunião anual com acionistas e investidores da Nokia, que aconteceu em maio de 2013, um grupo de acionistas mais radicais afirmou que Stephen Elop está "quebrando a empresa" e que está cometendo sérios erros ao insistir em substituir a plataforma móvel da Nokia apenas pelo Windows Phone e não diversificar com o Android, por exemplo.

O executivo, por sua vez, aproveitou a oportunidade para reiterar o compromisso da Nokia com o Windows Phone. "Nós fazemos os ajustes necessários à medida que caminhamos. Mas é muito claro para nós que, na guerra de ecossistemas de hoje, nós fizemos uma decisão muito clara de nos concentrarmos no Windows Phone com o lançamento da nossa linha Lumia", explicou Elop. "E é com isso que nós vamos competir com a Samsung e com o Android", finalizou.

Depois de tanta polêmica e negociações, Elop fecha o acordo da venda da divisão da Nokia para a Microsoft e volta a ser funcionário da companhia em meio à saída de Ballmer, o que aumenta ainda mais os boatos acerca da trajetória profissional do executivo.

De qualquer forma, a venda para a Microsoft é um movimento que aumenta a integração entre a produção de software e hardware dos dispositivos móveis, algo que pode aumentar a força do Windows Phone e, com isso, fortalecer ainda mais o nome de Elop.