81% dos CIOs brasileiros acreditam que falta de talentos no mercado é crítica

Por Redação | 21 de Outubro de 2015 às 10h19

Um levantamento global realizado pela empresa de pesquisa e consultoria de mercado Gartner revelado nesta terça-feira (20), durante o Symposium/ITxpo, mostra a preocupação dos CIOs com a falta de talentos para o setor, com 61% dos executivos entrevistados afirmando que há uma crise de mão-de-obra qualificada gerando pouca inovação na área.

De acordo com a pesquisa, a situação é ainda mais crítica no Brasil, onde 81% dos CIOs disseram acreditar que a situação "está perto de atingir proporções de crise" e que a falta de talentos é uma das maiores barreiras para o sucesso de um negócio.

Na avaliação do Gartner, o investimento em uma plataforma de talentos é um dos pontos essenciais para empresas que desejam sobreviver e crescer frente à digitalização dos negócios. Para isso, a consultoria defende que organizações abordem uma dinâmica mais adaptável que não esteja baseada em modelos estabelecidos de negócios e operações.

Segundo dados da pesquisa, realizada com 2,9 mil CIOs responsáveis por um orçamento de TI de US$ 250 bilhões em 84 países, a expectativa do crescimento de negócios digitais no próximo ano já é uma realidade em setores variados. Atualmente, o comércio digital fatura mais de US$ 1 trilhão por ano, com expectativa de aumentar em mais de 80% até 2020.

Dentro do setor privado, CIOs avaliam que a receita digital deverá saltar de 16% do total de empresas para 37% em cinco anos. No setor público, CIOs preveem um crescimento de 42% para 77% no total de processos digitais de governo no mesmo período.

No Brasil, os esforços de digitalização ainda estão concentrados principalmente no aprimoramento de processos, com foco em reduzir custos devido ao momento econômico e político do país, o que, na avaliação do Gartner, deve apontar para um potencial de crescimento no país, mas não em 2016.

Segundo um segundo levantamento feito com 1,3 mil CIOs brasileiros sobre o mercado nacional de TI, para o próximo ano a consultoria prevê um crescimento modesto nos investimentos de TI no país e eles devem atingir a marca de US$ 96,4 bilhões. O investimento será apenas 0,6% maior do que os US$ 95,8 bilhões aplicados no setor neste ano. Alguns segmentos deverão observar quedas, como o de dispositivos (PCs, celulares, tablets), que movimentará US$ 14,6 bilhões no ano que vem - 3,5% a menos que neste ano. Por outro lado, setores corporativos como Data Center e software deverão crescer, respectivamente, 2,4% e 5,4% no ano que vem.

Entre os CIOs nacionais, a consultoria também observou um ligeiro aumento (2,2%) no número de tomadores de decisão de TI que estão se convertendo nos chamados diretores digitais, ou Chief Digital Officers (CDO), responsáveis por liderar a transformação de suas organizações. Globalmente, 40% dos CIOs já estão nesse estágio de inovação, explorando efeitos de uma plataforma de liderança e construindo redes dentro e fora das empresas.

Segundo o Gartner, esse tipo de iniciativa de inovação é necessário para que companhias consigam alavancar negócios digitais de sucesso, atuando com atividades analógicas e digitais em conjunto no chamado negócio bimodal. Mundialmente, 40% dos CIOs estão na chamada "jornada bimodal", enquanto outros líderes estão planejando ações nos próximos três anos. No Brasil e na América Latina, o índice fica abaixo da média global, com apenas 28% dos CIOs dos países da região afirmando que haviam começado processos de TI bimodal.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!