70% dos profissionais de lojas e armazéns pretendem aumentar investimento em TI

Por Redação | 03.05.2016 às 14:35

Um estudo realizado pela Zebra Technologies Corporation, chamado Warehouse Vision 2020, mostrou que as expectativas dos consumidores impulsionarão um maior investimento em TI e nas funções operacionais das lojas durante os próximos quatro anos. Com isso, as empresas de manufatura e logística continuarão a realizar ajustes para a entrega direta aos consumidores. Mais de 40% dos entrevistados citaram que ter tempo de entrega menor é uma medida fundamental que deve ser adotada nas lojas e armazéns.

O estudo mostrou que 76% dos entrevistados esperam um aumento nas tecnologias de localizações nas lojas e no volume de produtos expedidos, o que indica uma demanda maior por parte dos consumidores. Metade dos profissionais de operações e de TI planejam mudar para um sistema mais moderno e que melhor atenda suas necessidades, enquanto 75% deles estão se programando para que em 2020 consigam controlar melhor seus itens enviados para as lojas.

"Os tomadores de decisão de TI e os profissionais de operações em armazéns e centros de distribuição têm que identificar de forma consistente novas maneiras de melhorar a produtividade e reduzir os custos para se manterem competitivos. Quase metade dos entrevistados indicaram uma preocupação sobre o desempenho do trabalho no processo de cumprimento das legislações", explica Mark Wheeler, diretor Warehouse Solutions da Zebra Technologies.

A pesquisa revelou que 51% do entrevistados esperam por um aumento do investimento em sistemas de rastreamento que monitoram estoques e armazéns em tempo real. Em 2020, este número representará 76%. Os executivos também antecipam um aumento na entrada de mercadorias a serem rotuladas com códigos de barras ao longo dos próximos cinco anos, chegando a 82% em 2020. Realizada em outubro de 2015, o estudo entrevistou 1.378 profissionais de operação e gestores de tecnologias de lojas e armazéns de 12 países, incluindo Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Itália, México e Reino Unido.