5 sinais de que está na hora de trocar seu iGadget

Por Durval Ramos
photo_camera Gizmodo

Por mais que tente prolongar a vida do seu iGadget e cuide para que ele dure, vai chegar uma hora em que ele precisará ser aposentado. Independente da marca, do modelo ou de como você o usa, o adeus é inevitável e não há nada que você possa fazer para impedir isso.

Não é algo fácil de aceitar, principalmente em um país em que cada eletrônico chega às lojas custando pequenas fortunas. No entanto, isso não quer dizer que o fim de seu dispositivo vai chegar da noite para o dia. Como você já deve ter presenciado, seu smartphone ou tablet começa a dar sinais de que a despedida está próxima e que talvez já seja a hora de você procurar algo mais atualizado para suprir suas necessidades.

E, no caso dos produtos da Apple, isso é ainda mais evidente. Além de serem sempre muito caros no Brasil, eles trazem indícios bem claros de que o seu ciclo de vida está perto do fim — quase como alertas de que você precisa preparar seu bolso. Confira agora quais são esses indicativos de que seu iPhone e iPad estão perto do fim.

Quando a própria empresa deixa de lado

Esse é o sinal mais claro de que está na hora de comprar um aparelho novo. Sempre que a empresa anuncia uma nova versão do iOS, os donos de tablets e smartphones mais antigos começam a suar frio, temendo que seus modelos não tenham mais suportes às novidades anunciadas.

iOS 9

Com o iOS 9, por exemplo, muita gente ganhou um tempo extra e pôde respirar aliviada quando a Apple confirmou que todos aqueles que já tinham a versão anterior do sistema operacional vão receber o próximo update. Isso serviu para dar um ano a mais de vida para o iPhone 4S e para o iPad 2 — ambos de 2011.

E, por mais que as reclamações por conta dessa "obsolescência programada" sejam bem frequentes, não é difícil entender o porquê desse ciclo de vida tão bem definido. Basta reparar que, mesmo com as atualizações ainda chegando a esses dois modelos, o seu funcionamento é bem diferente daquilo que temos em gadgets mais novos pelo simples motivo delas serem feitas para rodar em aparelhos mais recentes e poderosos.

Assim, você já começa a sentir o peso da idade de seu iPad ou iPhone quando ele deixa de receber algum tipo de função ou quando sofre para executar tarefas aparentemente simples. E os aplicativos acompanham essa evolução e passam a exigir mais do dispositivo, o que vai resultar em lentidão ou mesmo em travamentos repentinos. Se isso começou a acontecer com você, entenda isso como um pedido de socorro.

Quando a bateria lhe deixa na mão

Esse é outro indício bem fácil de ser percebido — mas que não torna sua aceitação mais simples. Quando seu iPhone passa a engolir a bateria e seu iPad não vive longe de uma tomada, está mais do que na hora de começar as despedidas e os backups.

Bateria - Smartphone

E não há nada que você possa fazer para reverter isso. Como citado no item anterior, o sistema operacional e os próprios aplicativos exigem mais do aparelho e isso vai impactar diretamente na sua autonomia. Além disso, a bateria de lítio utilizada possui um ciclo de vida bem determinado e isso vai se desgastando com o tempo e com a forma com que você usa seu gadget.

Isso não quer dizer que você não possa fazer nada para adiar esse momento. Há uma série de dicas para ajudá-lo a economizar energia e estender a durabilidade do dispositivo, mas tenha em mente que esses guias servem apenas para prolongar a vida de seu iPad por um tempo determinado, mas não há milagre que faça a bateria ser eterna.

Quando você não encontra mais acessórios

Desde o iPhone 5, a Apple deixou de lado o velho carregador de 32 pinos e adotou o formato Lightning, usado tanto em seus smartphones quanto nos tablets a partir do iPad de 4ª geração. Isso significa que, para modelos anteriores a esses, está cada vez mais difícil achar um cabo para substituir aquele seu carregador que deixou de funcionar.

Cabo

Esse é outro sintoma cada vez mais claro de que o fim está próximo. Com novas versões nas lojas, os acessórios acompanham esse movimento e as lojas passam a se concentrar muito mais no que é novidade do que continuar alimentando um nicho cada vez menor.

E isso não diz respeito apenas a cabos, mas a outros tipos de badulaques. Você vai perceber isso quando for comprar uma capinha nova e perceber que ninguém mais a vende para aquele velho 3GS.

Por outro lado, o Brasil tem uma realidade bem peculiar em relação a isso. Como os novos modelos são muito caros e o consumidor tenta prolongar a vida de aparelhos mais antigos, as lojas de acessórios seguem a mesma lógica. Tanto que, mesmo com a Apple não produzindo mais smartphones e tablets com entrada para o cabo de 32 pinos, ainda é bem fácil encontrar o conector em lojas de todo o país.

Quando a touchscreen deixa de responder

A partir daqui as coisas ficam mais críticas. Afinal, como lidar com um aparelho com touchscreen quando a tela deixa de funcionar corretamente? Se o seu tablet chegou nesse nível, a maior surpresa está no fato de você ainda não o ter trocado.

Display IGZO Sharp

Problemas com a tela são relativamente comuns em modelos mais antigos, seja com a resposta aos comandos de toque ou mesmo com pixels mortos. Há vários guias e aplicativos que ajudam a salvar um ou outro ponto comprometido em seu dispositivo, mas isso é apenas uma medida paliativa.

Assim, a partir do momento em que seu iPhone ou iPad começar a apresentar esse tipo de complicação com mais frequência, aplique o desapego e já comece a procurar uma versão mais recente do gadget.

Quando os botões não funcionam

Chega um momento na vida de todo aparelho que determinadas funções deixam de funcionar depois de serem muito usadas. No caso de dispositivos Apple, o botão Home é o primeiro a demonstrar esse sinal de cansaço, uma vez que ele é um dos poucos retornos físicos nesses aparelhos.

Botão Home

Isso acontece exatamente pelo uso excessivo. Depois de anos apertando o mesmo botão incessantemente, o hardware desgasta e você começa a ter mais dificuldade para voltar à tela de início do iOS. A chegada da Siri, no qual é preciso manter a tecla pressionada por um tempo, apenas agravou a situação.

O lado bom é que isso é fácil de ser contornado. No iPad, por exemplo, é possível executar a mesma ação ao unir os cinco dedos sobre a tela do tablet, enquanto no iPhone basta adicionar um botão virtual. Para isso, basta acessar Configurações > Geral > Acessibilidade > Assistive Touch.