10 músicas que tocavam no iPod de Steve Jobs

Por Redação | 12 de Setembro de 2015 às 14h45

A música tem o poder de alterar nosso estado mental, acionar diversas áreas do cérebro humano e induzir pensamentos, emoções e até mesmo determinadas atitudes. Nem os grandes homens de negócios escapam desse efeito. O cofundador da Apple, Steve Jobs, por exemplo, declarou uma vez ao site Death And Taxes Mag sua ligação com a música.

"Eu cresci nos pomares de damasco, que mais tarde ficou conhecido como Vale do Silício, e tive sorte o suficiente para ter o meu espírito jovem infundido com a revolução social e artística chamada rock’n roll. Ele nunca me abandonou", disse Jobs.

Pouco antes da sua morte prematura, o empresário revelou sua lista de músicas favoritas durante a demonstração do Ping, uma rede social de música da Apple lançada em 2010 e extinta cerca de um ano depois.

Quem gosta de avaliar as músicas e artistas presente nos iPods das pessoas para tentar conhecer um pouco mais da sua personalidade vai gostar de ver o gosto musical de um dos maiores nomes da tecnologia moderna. Veja abaixo 10 canções e álbuns que inspiravam Steve Jobs e o que eles podem dizer sobre o executivo:

1. Imagine (John Lennon)

Jobs acreditava que seus produtos poderiam ajudar a tornar o mundo um lugar melhor, então não é nenhuma surpresa saber que a obra utópica de Lennon era algo inspirador para o executivo.

Quanto a John Lennon, neste ponto de sua carreira, o Beatle podia ser visto de duas formas diferentes: como um líder espiritual, guru e revolucionário, ou simplesmente como um usuário de substâncias ilícitas que ficava no seu apartamento assistindo desenhos animados e, ocasionalmente, escrevendo músicas.

Existe um termo para definir isso: campo de distorção da realidade (CDR). O CDR é um termo usado pelo vice-presidente de tecnologia de software da Apple para descrever o carisma de Steve Jobs e sua forma de convencer a si mesmo e aos outros a acreditar em quase tudo com uma mistura de charme, carisma, exagero e marketing persistente. Jobs pode ter aperfeiçoado o chamado CDR, mas Lennon certamente inovou seu significado.

2. Tea for the Tillerman (Cat Stevens)

Ao contrário de Jobs, Cat Stevens era avesso a inovações tecnológicas. Tanto que o álbum Tea for o Tillerman fala sobre a busca de um homem para encontrar a espiritualidade no mundo moderno, ou seja, pelos padrões de hoje, como faço para escapar do meu iPhone e do meu iPad? Uma curiosidade: Cat Stevens se converteu ao islamismo nos anos 1970 e mudou seu nome para Yusuf Islam.

3. Highway 61 Revisited (Bob Dylan)

Você já leu ou assistiu alguma entrevista com Bob Dylan? Na maioria das vezes, elas soam tão estranhas quanto as entrevistas com Steve Jobs. Os dois conseguem ser volúveis e também criar silêncios constrangedores. Este álbum, especificamente, traz grandes sucessos como Like a Rolling Stone e Desolation Row, uma balada de 11 minutos que pode ser comparada aos produtos "insanamente grandiosos" apresentados por Jobs ao mundo.

4. The Goldberg Variations (J.S. Bach)

Bach e Jobs ficaram conhecidos pela sua capacidade de alcançar a simplicidade quase perfeita, mesmo ao lidar com as complexidades da melodia ou da tecnologia (respectivamente). Quem aí tem uma composição de Bach salva no seu iPod ou smartphone?

5. Truckin' (The Grateful Dead)

Como a maioria dos executivos da alta tecnologia, Steve Jobs viajava muito a negócios. Esta canção poderia muito bem ter inspirado o cofundador da Apple a permanecer criativo durante "sua longa e estranha viagem", como diz a letra da canção.

6. Late for the Sky (Jackson Browne)

Esta balada reflexiva fala sobre oportunidades perdidas e sobre tirar o máximo proveito da vida. Você pode tentar ouvi-la para melhorar sua perspectiva durante momentos difíceis, ou simplesmente para curtir uma fossa lembrando que até Steve Jobs ouvia baladinhas românticas.

7. Blue in Green (Miles Davis)

Miles Davis por si só já é uma grande fonte de inspiração. Um dos maiores nomes do jazz mundial fez músicas perfeitas para relaxar nossa mente e acalmá-la após um longo dia de trabalho.

8. Beast of Burden (The Rolling Stones)

The Rolling Stones também dispensa comentários, mas Beast of Burden pode ser destacada por já começar com a frase "Eu nunca serei seu burro de carga". Numa análise mais poética, podemos dizer que a música fala sobre manter a sua individualidade apesar da pressão externa para ser algo que você não é,

9. Won't Get Fooled Again (The Who)

Seguindo a linha rock'n roll, esta música nos faz lembrar que Jobs cometeu alguns erros em sua carreira, mas (significativamente) não repetia o mesmo erro duas vezes. Seria Won't Get Fooled Again uma dica da sua estratégia de negócios?

10. Blowin' in the Wind (Peter, Paul & Mary)

Se Imagine de John Lennon, representava o mundo como Steve Jobs gostaria que fosse, esta canção (escrita por Bob Dylan), sem dúvidas, o lembrou que ainda havia muito a ser realizado.

Fontes: Inc, Death And Taxes Mag

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.