10 momentos marcantes da Apple em 2015

Por Joyce Macedo | 23 de Dezembro de 2015 às 10h15

A maior empresa de tecnologia do mundo teve um ano movimentado, com direito a grandes vitórias, como o iPhone 6s e a nova Apple TV. Mas também presenciamos alguns momentos que deixaram um grande ponto de interrogação, como o iPad Pro e o projeto secreto do carro da Maçã.

Fato é que 2015 foi um dos maiores anos para a gigante de Cupertino no quesito inovação, com produtos que deram novos ares à quase todas as linhas de gadgets, uma nova categoria de dispositivo e um serviço de streaming de música. Aproveitando este clima de final de ano, vamos recapitular os grandes momentos da Apple em 2015 – mesmo aqueles que foram considerados grandes por motivos negativos.

1. Recorde de venda de iPhones

Funcionário Apple

Funcionários da Apple animados durante lançamento. (Foto: Reprodução)

No último trimestre de 2015, a Apple lucrou US$ 32,2 bilhões com a venda de 48 milhões de unidades de iPhones durante o período. Apenas durante o fim de semana de lançamento da linha de iPhones 6s, a empresa vendeu 13 milhões de unidades de smartphones.

“O ano fiscal de 2015 foi o de maior sucesso para a Apple, com a receita crescendo 28% para cerca de US$ 234 bilhões. Este contínuo sucesso é resultado do nosso compromisso de fazer os melhores e mais inovadores produtos da Terra", comemorou o CEO Tim Cook.

O iPhone já está no mercado há oito anos, mas ainda assim a Apple consegue manter um sucesso constante nas vendas do gadget. Um dos segredos para esse constante crescimento é o fato da China continuar comprando iPhones em massa.

2. (Quase) Tudo novo

iPad Pro

Novo iPad Pro (Foto: Reprodução / iMore)

Este foi um ano muito importante para a Apple no que diz respeito a hardware. Praticamente todas as linhas de produtos da Apple foram atualizadas em 2015. Vimos novos MacBooks, incluindo um modelo dourado de 12 polegadas, iMacs, o novo iPad Pro de 12,9 polegadas, um iPad mini poderoso, uma quarta geração remodelada da Apple TV e uma categoria de produto completamente nova de produto com o Apple Watch.

Essas atualizações de hardware não foram pequenas, como aconteceu com o iPad mini 3. Características emblemáticas do novo iPhone incluem o 3D Touch e uma câmera renovada; o iPad mini 4 agora é tão poderoso quanto o iPad Air 2; o novo MacBook é um dos computadores portáteis mais finos do mundo; e a nova Apple TV trouxe uma integração plena com a App Store e a Siri.

3. Uma Apple TV renovada

APPLE TV 2

Nova Apple TV atendeu às expectativas. (Foto: Bruno Hypolito / Canaltech)

A Apple TV merece destaque em relação aos demais novos hardwares apresentados este ano pela Maçã. A empresa esperou três anos para reformar seu set-top-box, e durante este tempo foi deixada para trás por concorrentes como Amazon Fire TV, Roku e até mesmo o Chromecast, do Google.

A nova geração da plataforma de TV da Maçã foi revelada durante o evento realizado pela companhia em setembro e trouxe todas as novidades que os rumores já indicavam há algum tempo. A maior delas é, sem sombra de dúvidas, o fato de que a Apple TV finalmente vai ganhar sua própria loja de aplicativos e suporte à Siri, o que vai facilitar as buscas a partir de comandos de voz

Também é possível utilizar o aparelho para reproduzir serviços como Netflix, Hulu, HBO Now, Amazon e muitos outros. Além disso, o controle remoto também foi remodelado para permitir que os usuários o utilizem como uma espécie de controle de games parecido com o do Nintendo Wii.

4. Apple ganha Taylor Swift

Taylor Swift

Taylor Swift criticou Apple Music, mas depois decidiu unir-se à Maçã. (Foto: Divulgação)

O Apple Music teve problemas antes mesmo do seu lançamento (e depois dele também), mas no final das contas a empresa conseguiu uma aliada de peso: a maior estrela atual da música pop, Taylor Swift.

Há alguns meses, a cantora escreveu uma carta pública questionando a decisão da Apple de não pagar os compositores e artistas pela execução de suas músicas no Apple Music durante o período de uso gratuito oferecido pela companhia aos seus usuários. Após alguns debates acerca do assunto e concessões por realizadas por ambas as partes, Taylor Swift assinou um contrato de exclusividade com a Apple para que os shows de sua mais recente turnê sejam transmitidos apenas no Apple Music.

5. Apple Music e sua biblioteca bagunçada

Apple Music

Apple Music para desktops apresentou algumas falhas. (Foto: Divulgação)

A Apple lançou o Apple Music para desktops juntamente com a versão 12.2 do iTunes, oferecendo assim uma integração com a biblioteca de músicas nos dispositivos. No entanto, muitos usuários reclamaram que a novidade torna tudo uma grande bagunça, misturando músicas compradas pela iTunes Store, ripadas de CDs físicos e baixadas pelo serviço da Maçã.

Em alguns casos, houve problemas menores, como capas de álbuns erradas. Em outras circunstâncias, o iTunes corrompeu milhares de faixas de algumas bibliotecas, resultando em centenas de queixas de usuários no fórum da Maçã. Apesar dos problemas, o Apple Music conseguiu acumular 15 milhões de ouvintes.

6. Apple Pencil em falta

Apple Pencil

Apple Pencil gerou interesse, mas ficou em falta no mercado pouco depois de seu lançamento. (Foto: Divulgação)

O iPad Pro de 12.9 polegadas foi lançado em novembro com dois acessórios complementares, o Smart Keyboard e a Apple Pencil, o lápis que prometeu dar um novo sentido à velha canetinha digital. Com a Apple Pencil, os criativos têm uma ferramenta interessante para realizar atividades que exigem algo mais cuidadoso e preciso.

No entanto, pouco depois dos novos produtos serem colocados à venda, os acessórios se esgotaram. Em relação ao Smart Keyboard, os usuários possuem uma alternativa à opção original oferecida pela Apple: um teclado específico para o iPad Pro chamado "CREATE", desenvolvido pela Logitech. Já a Apple Pencil não possui nenhum produto equivalente, o que deixou muitos consumidores frustrados, uma vez que precisarão esperar semanas até colocar as mãos no lápis digital da Maçã.

7. O estranho lançamento do Apple Watch

Apple Watch

Lançamento do relógio inteligente não teve a famosa fila na porta da Apple Store. (Foto: Divulgação)

A Apple restringiu a vendas onlines a comercialização do seu "dispositivo mais pessoal de todos". Os compradores não podiam simplesmente ir até as lojas físicas da Maçã e sair de lá com um Apple Watch no pulso, eles precisavam esperar semanas até que o gadget fosse entregue após realizar o pedido na loja o.line. Além disso, o estoque do relógio inteligente zerou poucas semanas após seu lançamento, deixando ainda mais consumidores frustrados.

Acostumados a grandes filas e a rezar para chegarem a tempo de comprar uma unidade dos novos gadgets da empresa, os clientes não teriam entendido que, no caso do Apple Watch, toda a venda acontece online. Na verdade, como bem disse um colunista do Macworld, a festa do Apple Watch começou apenas seis meses após seu lançamento, quando a Apple finalmente conseguiu atender a demanda pelo produto e ampliou sua disponibilidade para varejistas.

8. Malwares chegam à App Store

Vírus Apple

Malwares atingiram aplicativos na loja oficial da Apple em 2015. (Foto: Reprodução)

Como não poderia deixar de ser, a Apple também enfrentou grandes problemas ao longo do ano. 2015 foi marcado pelo ano em que um malware para iOS finalmente penetrou o sistema de segurança da App Store. Antes disso, apenas usuários que realizavam jailbreak em seu aparelho precisavam se preocupar com este tipo de problema, uma vez que o processo de aprovação de aplicativos da App Store é notoriamente difícil. No entanto, este ano a loja oficial de apps da Maçã foi atingida duas vezes.

No primeiro caso, os hackers usavam uma versão alterada do Xcode da Apple — a ferramenta de desenvolvimento de aplicativos — para "converter" apps bons em malware. Batizada de XcodeGhost, a ferramenta alterada serviu principalmente para atingir os usuários chineses. Tanto que um dos apps que foi vítima desses ataques foi exatamente o WeChat, uma versão chinesa do WhatsApp e que é bastante popular no país.

No segundo caso, os usuários foram atingidos pelo chamado YiSpecter, um malware que utilizava APIs privadas e certificados digitais das empresas desenvolvedoras para invadir o sistema do usuário. Uma das formas do YiSpecter conseguir acesso ao iOS era por meio de um aplicativo malicioso que permitia visualizar conteúdo pornográfico gratuitamente.

9. O novo MacBook

Novo MacBook

Novo MacBook de 12 polegadas com controverso USB-C. (Foto: Divulgação)

O MacBook de 12 polegadas da Apple combina tecnologias que ainda não são padrão, mas poderiam se tornar um dia. A tecnologia Force Touch, teclado super fino e o conector USB-C tornam o novo MacBook um dispositivo da próxima geração, o que é impressionante na teoria. Na realidade, o teclado não é o mais fácil para se digitar e o conector USB-C torna o notebook incompatível com basicamente todos os outros dispositivos que você possui.

O preço do dispositivo também está bem salgado. Seu valor por aqui é de R$ 8,5 mil. A versão mais avançada do gadget, vendida a R$ 10,5 mil, traz configurações semelhantes, sendo as únicas diferenças o clock do processador, 1,2 GHz com pico de 2,6 GHz com o Turbo Boost, e um SSD de 512 GB para armazenamento.

10. Carro da Apple?

Carro elétrico Apple

Possível carro da Apple ainda é um mistério. (Foto: Reprodução)

No início deste ano, rumores de que a Apple estaria recrutando uma grande quantidade de peritos em carros bombaram na web. Ao mesmo tempo, o CEO da empresa, Tim Cook, e o chefe de design, Jony Ivy, começaram a insinuar durante as entrevistas que o mercado de automóveis era interessante. É claro que a Apple não chegou e disse: "Olá, mundo, estamos construindo nosso próprio carro altamente tecnológico", mas todos os sinais apontam para um projeto secreto em andamento.

Vamos rever as principais evidências de que a Maçã realmente está preparando algo relacionado ao assunto:

Como pudemos ver ao longo do ano, os rumores acerca do suposto carro da Apple são muito e não nos permitem saber se a empresa pretende lançar um carro elétrico ou um carro autônomo, que dispensa motorista.

Fato é que a Apple tem mostrado seu interesse por carros há algum tempo, e exatamente por isso resolveu desenvolver o CarPlay, um painel inteligente que auxilia o motorista na hora de fazer chamadas, usar mapas, ouvir músicas, acessar mensagens via comandos vocais ou toque, entre outras possibilidades de uso.

Fonte: Com informações do PC World

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.