10 mitos (e algumas verdades) sobre a Apple

Por Redação | 14 de Maio de 2015 às 09h25

A história da Apple é recheada de histórias sobre pioneirismo, criatividade e inovação. Nos anos 1990, uma piada do mundo tech dizia que "a IBM tem o poder de mudar a mente dos homens, mas a Apple tem o poder de mudar a história". Eles diziam isso porque o setor de relações públicas da empresa da Maçã tende a distorcer um pouco a verdade em determinados momentos, principalmente quando o assunto é a invenção de algum produto.

Para entender melhor, veja dez mitos e algumas verdades sobre a Apple.

1. A Apple inventou o computador pessoal

Fãs da Apple, desculpa decepcioná-los, mas ela não fez isso. Antes da dupla de Steves (Jobs e Wozniak) começar a montar componentes e vender seus computadores de garagem por algumas centenas de dólares, já havia uma dezena de computadores pessoais no mercado. A verdade é que eles não criaram nenhum dos componentes de hardware, tudo o que eles usaram já podia ser encontrado nas prateleiras.

Segundo o Computer History Museum, o primeiro computador pessoal foi o Kenbak-1, lançado em 1971, e apenas em 1976 a Apple foi criada. Em 1977, foi lançado o primeiro microcomputador como conhecemos hoje, o Apple II. Os computadores domésticos deixaram então de ser apenas um hobby para se tornarem ferramentas indispensáveis para muitas pessoas. Já com o lançamento do Macintosh, a Apple conseguiu popularizar a interface gráfica de um computador pessoal.

2. A Apple inventou o mouse

Muitos responsabilizam Steve Jobs pela criação do mouse, mas isso não é verdade. Apesar do periférico só ter ficado realmente famoso graças ao Apple Macintosh, de 1984, a ideia surgiu muito antes. O trackball (uma espécie de mouse de cabeça para baixo) foi inventado em 1946 por Ralph Benjamin para o Serviço Científico da Marinha Real Britânica, mas foi mantido em sigilo porque era considerada um segredo militar.

Já na década de 1960, Douglas Engelbart e Bill English criaram um protótipo de mouse no Instituto de Pesquisas de Stanford. O Xerox Alto foi um dos primeiros computadores a utilizar um mouse em 1973. A Microsoft adicionou suporte ao mouse no seu programa MS-DOS Word em 1982 e desenvolveu o seu próprio mouse um ano antes da Apple incluir o periférico no Apple Lisa em 1983.

Mouse Apple

3. Computadores da Apple são mais fáceis de usar do que os demais

Não necessariamente. Na verdade isso depende de qual sistema você aprendeu a utilizar primeiro. Todos os sistemas operacionais e interfaces de usuários têm as suas vantagens e desvantagens e nenhum deles se destaca por ser extremamente mais fácil do que o outro. É tudo uma questão de estar familiarizado com o SO, de qual sistema você aprendeu a utilizar primeiro e de suas preferências pessoais.

4. Aparelhos da Apple nunca dão problema

Não é preciso dizer que todos os dispositivos eletrônicos estão sujeitos a problemas técnicos, bem como os seus sistemas operacionais. Um bom exemplo é um caso que se popularizou no Brasil depois de um site ter "trollado" diversos internautas.

Em 2013, uma sequência específica de caracteres árabes estava atormentando usuários de iOS e Mac OS X, isso porque, ao visualizar o texto, o aplicativo que o executasse (Twitter, E-mail, WhatsApp, Facebook, etc) era fechado automaticamente. O site de entretenimento resolveu então testar a eficácia do bug com os seus próprios leitores e o resultado foi milhares de dispositivos travados.

Código árabe iOS

5. Apple não tem vírus

Sim, estamos em 2015 e ainda tem pessoas que acreditam nisso. Apesar de existir muito menos vírus voltados para dispositivos iOS e Macs do que para Windows e Android, isso não quer dizer que eles não existem.

Para quem não se lembra, no início de 2012, pelo menos 600 mil dispositivos Mac foram infectados pelo Flashback, que aparecia para os usuários como um plugin do Adobe Flash e roubava nomes de usuários e senhas.

6. A Apple começou em uma garagem

Diz a lenda que a Apple começou em uma garagem na casa onde Steve Jobs cresceu, na Califórnia. Mas, de acordo com Steve Wozniak, "a garagem é um pouco mitológica. É exagerada. Não fizemos nenhum design, nenhuma montagem, nenhum protótipo e nenhum produto. Nós não fabricamos nada na garagem. Ela não tinha muito propósito, com exceção de ser um lugar onde nos sentíamos em casa", explicou Wozniak.

7. A Apple inventou o tocador de áudio digital portátil

Não. Já existia quase uma dúzia de leitores de música digital no mercado antes da Apple lançar o seu icônico iPod, em outubro de 2001. Muita gente vai dizer que, mesmo que a empresa não tenha inventado o conceito, ela o aperfeiçoou, melhorando sua interface e criando um mercado de expansão que não existia antes disso; e essas pessoas podem estar certas.

Rio Diamond Multimedia

Mas a Apple também tem uma importante dívida com a Diamond Multimedia e o seu Rio, lançado em setembro de 1998. Quando a Diamond lançou o seu player, a empresa foi processada pelos pesos-pesados da indústria da música que reivindicavam a violação de direitos autorais. Depois de muita luta, a Diamond finalmente venceu em um tribunal e abriu as portas para tudo o que veio depois disso – incluindo o iPod.

8. Os produtos da Apple são sempre mais caros

Verdade. É praticamente impossível pensar em um produto da Apple que não é cerca de 50% mais caro do que os seus concorrentes. Você pode até alegar que não existem produtos comparáveis no mercado, que sejam tão legais e bem projetados, mas o fato é que se você quiser mesmo usufruir disso, terá que desembolsar muito mais dinheiro.

9. Você não pode comparar maçãs com laranjas (ou a Apple com Windows)

Verdade. É praticamente impossível comparar os computadores da Apple com outros dispositivos da concorrência de uma forma objetiva. Mesmo com os testes de benchmarks disponíveis no mercado, a Apple sempre pode alegar que este ou aquele modelo em particular não é tão rápido quanto outro que rode Windows, mas a verdade é que não temos como provar definitivamente que um computador com Mac OS X ou Windows é superior.

10. Os produtos da Apple são mais legais do que os de outras empresas

Isso depende do gosto pessoal de cada usuário. É claro que existe um hype em torno dos dispositivos da Maçã, que são muitas vezes ligados à ostentação (pelo menos no Brasil, onde é vendido o iPhone mais caro do mundo). Não podemos negar que os gadgets da empresa são elegantes e modernos, além de muito bem projetados. Em linhas gerais, eles são mais finos, coloridos e criativos.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.