O dia em que a Cuca deu início a uma nova Guerra Memeal (e foi parar na justiça)

Por Redação | 22 de Junho de 2017 às 10h58

Quem poderia imaginar que a popularidade internacional da Cuca seria o estopim para a mais nova Guerra Memeal travada pelo Brasil nas redes sociais? Pois foi exatamente o que aconteceu nesta semana. Depois de a personagem eternizada no seriado Sítio do Pica-Pau Amarelo conquistar o mundo com seus GIFs, o blogueiro Perez Hilton decidiu lucrar em cima da brincadeira e era óbvio que os brasileiros não iam deixar barato. E o que começou como um monte de piada pode acabar virando caso de justiça internacional.

Nesta quarta-feira (21), o blogueiro divulgou em seu perfil no Twitter uma série de imagens de camisetas, capas de celular e outros produtos trazendo a figura da Cuca estampada, além de um trocadilho ruim em inglês. E o oportunismo não foi bem recebido por seus seguidores tupiniquins, que passaram a criticá-lo por se apropriar de algo pertencente ao folclore brasileiro ou, ainda mais grave, utilizar uma imagem que tem direitos autorais para lucrar em cima.

A coisa toda alcançou uma escala tão grande que a própria família do escritor Monteiro Lobato, responsável por popularizar a figura da bruxa-jacaré, acabou entrando na história. Em entrevista ao UOL, o empresário Álvaro Gomes, que cuida do legado de Lobato ao lado dos bisnetos do autor, criticou a postura do blogueiro e disse que ela não poderia ter feito as camisetas sem pedir autorização para uso da imagem.

Segundo ele, quando as pessoas pedem o direito de imagem para fins culturais ou beneficentes, a concessão é feita sem qualquer custo ou complicação, mas ele não concorda quando alguém tenta ganhar dinheiro em cima da obra de Monteiro Lobato. Para ele, “espertinho tem em qualquer lugar”.

Só que a coisa não para por aí e deve alcançar até mesmo a Globo, já que o visual utilizado por Perez Hilton — e popularizado nos memes — é retirado do seriado transmitido pela emissora no início dos anos 2000. De acordo com Gomes, ele vai pedir para que a empresa entre com uma ação contra o blogueiro. A Globo disse estar analisando o caso para adotar as medidas cabíveis.

Em seu perfil no Twitter, Hilton diz não estar fazendo nada de errado, já que o desenho das camisetas é uma variação do visual apresentado na TV, o que, na prática, faria da arte uma espécie de sátira ou brincadeira com algo já existente — e, sob a lei americana, dentro da legalidade no que diz respeito à liberdade artística. É mais ou menos a mesma lógica que permite que você compre uma camiseta que faz brincadeira com seriado ou filme pela internet. Como o blogueiro disse na rede social, a lei está do se lado. Inclusive, ele diz que a arte (que é bem malfeita, sejamos sinceros) já foi registrada em seu nome.

O problema é que a lei brasileira, por outro lado, não é tão permissiva assim. Isso significa que a ação pode cair em um grande limbo jurídico que pode testar a jurisdição dos dois países no que diz respeito ao uso de propriedades intelectuais. Seria engraçado, porém, se os EUA decidissem fazer uma represália ao Brasil mandando caçar a Carreta Furacão.

Enquanto isso, os memes

Como dito, a polêmica envolvendo Perez Hilton não serviu apenas para provocar o lado legal da coisa. Na verdade, a briga começou com GIFs e os memes se transformaram na principal arma dos brasileiros na hora de atacar o blogueiro. E, como sempre, nossos soldados do Twitter não decepcionaram. Confira algumas das melhores respostas sobre o assunto.

Com informações do UOL

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.