Jovem cria lâmpada capaz de durar a vida inteira

Por Redação | 12 de Julho de 2016 às 21h43

Uma fonte de luz com durabilidade praticamente infinita. Foi com essa ideia que Jake Dyson, filho do inventor James Dyson, superou o seu feito do ano passado e conseguiu criar uma lâmpada capaz de durar por mais de 40 anos. A novidade pode ser a luz mais inteligente, mais barata e mais amiga do ambiente já desenvolvida.

Dyson é o fundador da Jake Dyson Lighting, nascida em 2004 e incorporada aos negócios do pai recentemente. Até o momento, a empresa vende apenas dois modelos de lâmpadas: a CSYS, uma lâmpada de chão e mesa, e a Cu-Beam, de teto. Ambos os modelos contam com LEDs que Dyson projetou para durar uma vida inteira.

De acordo com o criador, as luzes tradicionais não são desenvolvidas com a proteção de calor necessária aos seus LEDs, e então ele resolveu investir em uma tecnologia capaz de aumentar a longevidade das lâmpadas. A diferença está em apenas uma peculiaridade em sua fabricação: a otimização da dissipação de calor. Dessa forma, fazer com que a temperatura dos LEDs não se mantenha muito alta está na base da grande duração do produto.

LED Dyson

Sem os danos causados pelo calor, os LEDs de Dyson podem durar, pelo menos, 40 anos em pleno brilho. O mais interessante é que, mesmo depois disso, a lâmpada não deixará de funcionar. Segundo o inventor, os LEDs continuarão em atividade, mas apenas com cerca de 70% de sua intensidade original.

O que separa a companhia de Dyson de seus concorrentes é que a maioria das empresas simplesmente deixa que as lâmpadas aqueçam. Mesmo podendo poupar os clientes da tarefa de substituí-las, por meio da tecnologia de dissipação de calor, os fabricantes ainda optam por trabalhar com baixos investimentos, e Dyson explica o motivo: "O mercado de lâmpadas descartáveis ​​vale bilhões de dólares por ano em todo o mundo, de modo que alguns fabricantes não estão interessados ​​na criação de produtos de iluminação que duram uma vida", diz ele.

Sobre o assunto, Dyson revela que seu objetivo mais ambicioso não é apenas reinventar a lâmpada, e sim mudar a forma como as pessoas pensam em iluminação em geral, principalmente porque a redução do desperdício também auxiliaria na construção de um planeta mais verde e sustentável.

Fonte: TechInsider