IBM cria método que transforma lixo eletrônico em plástico para uso médico

Por Redação | 29 de Junho de 2016 às 15h49

Pesquisadores da IBM desenvolveram um novo processo de reciclagem que consegue transformar lixo eletrônico vindo da indústria de tecnologia e os policarbonatos usados para fazer smartphones e CDs em um plástico não tóxico seguro e, além disso, suficientemente forte para uso médico.

Os policarbonatos geram preocupações consideráveis sobre os efeitos dessa química no cérebro, pois são conhecidos por lixiviação do BPA à medida que se decompõem. Eles são encontrados em telas LED, aparelhos de Blu-ray, lentes de óculos, utensílios para a cozinha e equipamentos de armazenamento doméstico, entre outros objetos.

Durante o processo, os pesquisadores produziram um novo plástico que é ainda mais resistente que o policarbonato em termos de temperatura e resistência química, adicionando reagente de fluoreto, uma substância similar a fermento em pó, e calor. Com o resultado, eles constataram que é seguro o suficiente para uso em purificação de água, equipamento médico, e até mesmo fibras óticas.

“Enquanto se previne que esses plásticos entrem em terras, nós reciclamos simultaneamente a substância em um novo tipo de plástico – seguro e forte o bastante para purificar nossa água e produzir equipamento médico”, disse Jeannette Garcia, uma das pesquisadoras da IBM envolvidas no projeto. “É um ganho ambiental com muitas vertentes”, completou.

Após a descoberta, o Proceedings of the National Academy of Sciences publicou um artigo durante essa semana descrevendo os detalhes sobre o projeto. Por fim, os profissionais da companhia combinaram modelos preditivos e trabalho experimental no laboratório para descobrir a nova abordagem de reciclagem.

Fonte: IBM

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.