Bill Gates elege 3 tecnologias de energia limpa capazes de salvar o mundo

Por Redação | 08.12.2015 às 08:06
photo_camera Divulgação

Bill Gates é talvez um dos mais conhecidos filantropos do mundo e suas ações sociais volta e meia ganham destaque nos noticiários. No último dia 30 de novembro, ele lançou um fundo de investimento multibilionário que conta com a participação de outros ricaços a fim de incrementar pesquisas em torno de energias limpas e renováveis.

No mesmo dia, Gates divulgou o ensaio chamado “Inovação Energética – Por que nós precisamos dela e como alcançá-la”, disponível online (clique aqui para acessar o arquivo PDF), no qual ele cita quais devem ser os papéis de empresas e governos na substituição dos combustíveis fósseis para energias menos poluentes.

Além disso, ele cita três tecnologias que deveriam ser melhor desenvolvidas e poderiam atuar de forma crucial na solução da crise energética. Para Gates, “quanto mais rápido governantes e investidores acelerarem as pesquisas, mais rápido nós poderemos fazer a transição para energia limpa, acessível e renovável”. Confira quais são as principais apostas do cofundador da Microsoft.

1. Energia química solar

Tecnologias para salvar o mundo

Energia química solar é uma espécie de fotossíntese artificial. (Foto: Divulgação/Joule Unlimited)

Diferente da energia solar tradicional, a energia química solar utiliza o potencial energético do sol para gerar combustível. Em suma, a energia química solar é um processo de fotossíntese artificial no qual um equipamento agrupa células catalisadoras separadas por membranas e rodeadas de um material capaz de absorver a luz do sol.

O resultado deste processo é a geração de energia suficiente para bombear água e também para produzir oxigênio e hidrogênio, sendo que este último poder ser utilizado como combustível ou em outros processos industriais.

“Energia química solar nos colocaria em um caminho para descarbonizar tanto o setor de eletricidade quanto o setor de transportes”, aposta o ex-executivo da Microsoft. “Ela também nos ajudaria bastante com os problemas de armazenamento, porque o mundo já é bastante eficiente em armazenar e transportar combustíveis por meio de dutos, tanques e outras infraestruturas”.

2. Bateria de fluidos

Tecnologias para salvar o mundo

Bateria de fluidos não é portátil, mas pode ser eficiente para a indústria. (Foto: Divulgação/Universidade de Harvard)

Atualmente, as baterias mais desenvolvidas sendo usadas de forma ampla no mercado são as de íon de lítio. Porém, Bill Gates aposta que outro tipo de dispositivo de armazenamento deveria receber maior atenção, as chamadas baterias de fluidos. Em vez de células, elas utilizam um líquido eletrólito recarregável dentro de dois compartimentos internos.

“Enquanto a bateria é carregada, o líquido vai do compartimento de entrada para o compartimento de retenção, isso por meio de um conjunto parecido com um radiador que carrega o líquido com energia”, descreve Gates. “A energia é liberada quando o líquido sai do compartimento de entrada através dos lemes e volta ao compartimento de retenção”.

Sua grande vantagem está no ciclo de uso, que poderia funcionar perfeitamente durante décadas. Apesar disso, é impensável a utilização de baterias de fluidos em dispositivos pessoais, pois elas não seriam portáteis. Entretanto, setores industriais teriam um grande benefício neste tipo de dispositivo de armazenamento de energia.

3. Tinta solar

Tecnologias para salvar o mundo

Tinta capaz de captar energia solar? Sim, isso existe. (Foto: Reprodução/Daily Veda)

A última tecnologia citada por Bill Gates é, basicamente, pintar superfícies com tintas capazes de reter energia do sol. “A ideia por trás da tinta solar é tonar a energia solar muito mais barata e fácil de instalar”, defende o cofundador da Microsoft. Com isso, tetos, paredes, carros e até mesmo portáteis como celulares e tablets poderiam incrementar a captação da energia do sol.

“Isso significa aplicar uma camada condutiva, então uma camada de base branca e, finalmente, uma tinta fotossensível no topo — é ela quem vai gerar a eletricidade —, então é só aplicar calor para secar a tinta”.

A praticidade desta técnica a torna capaz de ser realizada por basicamente qualquer pessoa, servindo de alternativa (ou mesmo um incremento) aos tradicionais painéis de captação de energia solar.

Será que o mundo está preparado e comprometido com pesquisas e desenvolvimentos de alternativas realmente funcionais neste âmbito? Só o tempo dirá.

Fonte: Bill Gates/Energy Innovation (PDF)