Tecnologia de energia solar nos estádios da Copa vem da China

Por Conexão China

A seleção de futebol chinesa não veio para a Copa, mas a China estava aqui representada pelos painéis de energia solar. Segundo reportagem do Jornal da Globo, mais de 5.200 placas solares foram instaladas em estádios para a Copa do Mundo. A fabricante é a Yingli Solar. Localizada em Baoding, a fábrica da empresa é a maior do mundo.

E não é só os brasileiros que fazem negócio com os chineses — as placas da fabricante são exportadas para mais de 40 países. O que chama a atenção dos clientes é a qualidade e o preço mais baixo do que da concorrência. Para isso, a Yingli Solar busca primeiro melhorar a eficiência das placas, para depois reduzir o custo. Dessa forma, a energia solar se torna mais competitiva contra outras energias.

Além de ser bom para o mercado mundial, o desenvolvimento de energia solar também traz benefício para a China. O país, que passa por uma situação grave de poluição, pode diminuir, no futuro, o principal meio de gerar energia atual: o carvão mineral. Ainda segundo a reportagem, a energia termelétrica representa 80% de toda a matriz energética da China. Por isso, o investimento em fontes de energia limpa tem tanto apoio do governo chinês — mesmo que ainda represente apenas 9% da energia produzida no país.

Em 2013, a China bateu o recorde mundial de instalação de placas solares. Mais de 12 gigawatts de capacidade — o que é maior do que a soma de todas as placas dos Estados Unidos. Se continuar assim, será possível cumprir a meta do governo de reduzir 40% das emissões de poluentes até 2020. E até lá, muitos outros recordes serão quebrados.