Os 104 anos do nascimento de Alan Turing

Por Felipe Demartini RSS | em 23.06.2016 às 16h03 - atualizado em 23.06.2016 às 16h35

Alan Turing

Se estivesse vivo, Alan Turing comemoraria nesta quinta-feira (23) seus 104 anos de idade. O matemático e criptoanalista britânico é considerado o “pai da informática” por ter sido essencial na criação de máquinas que, mais tarde, dariam origem aos PCs que utilizamos hoje para trabalhar, estudar e realizar nossas atividades diárias. Sua genialidade e influência fundamental na história da humanidade, entretanto, foram ceifadas pelo preconceito de uma época que, felizmente, já ficou para trás.

Nascido em 1912, Turing teve participação fundamental nos esforços de combate aos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Trabalhando para a inteligência britânica, ele foi um dos responsáveis pela criação de uma máquina altamente complexa, capaz de decifrar o código da Enigma, utilizada pelos inimigos na sua comunicação com as frotas marítimas. Esse período é o mote central de O Jogo da Imitação, filme indicado ao Oscar em 2014 e com Benedict Cumberbatch no papel do especialista.

Naquela época, entretanto, o conceito de computação era bem diferente do que temos hoje. O seu pequeno notebook era uma realidade digna de filmes de ficção científica, já que, aqui, estamos falando de máquinas do tamanho de salas inteiras, cheias de aparatos e componentes mecânicos que exigiam influência manual para serem operadas. E mesmo neste conceito arcaico, Turing foi capaz de conceber algumas das primeiras descobertas nos campos da inteligência artificial e ciências da computação, além de ser um dos responsáveis pela formalização do conceito de algoritmo.

Seus trabalhos com computadores se estenderam após o fim da Segunda Guerra, no Laboratório Nacional de Física do Reino Unido. Ali, ele também se interessou pela química e pela biologia, escrevendo trabalhos e prevendo reações que só poderiam ser provadas e observadas 20 anos depois.

Entretanto, de acordo com uma lei que enquadrava homossexuais como criminosos, Turing teve de se submeter a um processo de castração química, única alternativa à prisão. A divulgação do processo, entretanto, o tornou persona non grata na comunidade científica e o impediu de acompanhar os testes de muitos dos avanços que ele mesmo havia incentivado na indústria de computadores.

Turing foi encontrado morto no dia 7 de junho de 1954, semanas antes de seu aniversário de 42 anos. A causa apontada pela polícia foi suicídio através de envenenamento por cianureto, apesar de muitos, incluindo a própria mãe do especialista, terem considerado a morte acidental devido a pesquisas conduzidas por ele em seu laboratório doméstico. Os experimentos envolviam cianeto de potássio, que teria sido inalado acidentalmente em doses fatais.

55 anos depois, em 2009, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown apresentou desculpas públicas, em nome de todo o governo do Reino Unido, pelo tratamento dado a Turing após a sua contribuição inestimável para a vitória aliada na Segunda Guerra Mundial. Em 2013, a rainha Elizabeth II concedeu a ele um perdão oficial por sua condenação por homossexualidade e devolveu seu status de oficial da Ordem do Império Britânico, removido durante o processo.

Para comemorar o aniversário de 104 anos de Alan Turing, um tour em 360 graus dos escritórios do especialista e de uma de suas maiores criações, o computador capaz de quebrar a Enigma, foi liberado no YouTube. Disponível apenas em inglês, o vídeo conta a história da descoberta do código usado pelos nazistas e apresenta um olhar sobre seu escritório e outros locais de trabalho.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome