As carteiras digitais têm futuro no Brasil?

Por Joyce Macedo RSS | em 10.12.2015 às 12h10

Apple Pay

As carteiras digitais fazem parte do grupo de pagamentos móveis e online que permitem aos consumidores realizar pagamentos por meio de aplicativos sem a necessidade de utilizar dinheiro em espécie ou cartão. Estas soluções armazenam os dados de identidade e financeiros do usuário, garantindo que eles sejam usados com a devida segurança e privacidade durante as transações.

Quando um usuário se cadastra em um destes serviços e opta por utilizá-lo para pagar uma compra, ele não precisa digitar seus dados, pois eles já estão armazenados pela empresa intermediária, como a PayPal, por exemplo. Apesar do nome já não ser mais tão desconhecido, quando ouvimos falar de carteiras digitais ainda imaginamos algo distante da nossa realidade. No entanto, o Brasil já possui algumas soluções para quem deseja entrar na onda dos pagamentos móveis.

Uma das grandes vantagens de optar pelo uso de uma carteira digital é poder ir às compras sem a necessidade de levar dinheiro ou cartões; basta levar seu smartphone para realizar o pagamento, pois os consumidores têm os dados cadastrais e dos cartões de crédito armazenados no provedor do serviço. Mas será que os varejistas brasileiros já estão preparados para esta nova fase do mercado financeiro? 

Cenário atual

Grandes empresas do setor de tecnologia já fizeram suas apostas nas carteiras digitais, entre elas Apple, Samsung e Google, mas elas ainda não estão disponíveis no Brasil. Por aqui, encontramos serviços como PayPal, PagSeguro, Dashlane, Oi Carteira, Stelo (Bradesco) e Skrill.

Com o aplicativo de carteira digital do PagSeguro, por exemplo, o consumidor já pode pagar a comanda de um estabelecimento sem precisar ir até o caixa. Para isso, basta acessar o app, escolher o estabelecimento cadastrado, digitar o número da comanda, visualizar e conferir o consumo e, por fim, selecionar a forma de pagamento, tudo diretamente do seu smartphone. Apesar do recurso ser extremamente interessante, o número de estabelecimentos parceiros ainda não é grande.

PagSeguro carteira digitalImagem: Divulgação 

Há alguns meses, a MasterCard anunciou que está trazendo ao Brasil uma tecnologia de tokenização capaz de habilitar o uso das carteiras digitais. Para isso, ela desenvolveu uma tecnologia chamada MasterCard Digital Enablement Service (MDES), que viabiliza esse tipo de operação por meio de códigos que validam toda a operação a partir de uma criptografia diferenciada. A novidade será concretizada a partir de uma parceria com o Nubank e permitirá pagamentos através de sistemas como o Apple Pay, Samsung Pay e Android Pay.

É preciso lembrar que esta tecnologia exige uma mudança de hábitos e equipamentos, uma vez que necessita de condições especiais para funcionar, como dispositivos com conexão Near Field Communication (NFC), por exemplo. No entanto, a realidade é que em diversas regiões do país os consumidores ainda sofrem para encontrar simples maquininhas de cartão nas lojas.

Entre os principais motivos para a não adoção de pagamentos com cartões estão a falta de confiança no sistema, as redes de comunicação que deixam a desejar e as taxas cobradas pelas operadoras de cartões de crédito junto aos estabelecimentos comerciais.

Perante todos estes empecilhos, o cenário esperado para as carteiras digitais no Brasil é que apenas alguns poucos estabelecimentos voltados para consumidores mais antenados e os grandes varejistas queiram testar novas tecnologias, o que deve atrasar (ou inviabilizar) a popularização destes sistemas.

Segurança

Os sistemas relacionados a pagamentos móveis têm como prioridade a segurança dos dados dos consumidores e das transações realizadas com o auxílio de suas plataformas. No entanto, a cultura de insegurança que encontramos atualmente no país não dá muita chance para novas tecnologias que envolvam o suado dinheirinho dos brasileiros. 

Para conseguir melhorar este cenário, é preciso pensar em muitos outros pontos-chave, como o combate a fraudes e clonagem de cartões, por exemplo. Além disso, é preciso ampliar o alcance das informações relacionadas ao assunto e explicar para os consumidores, entre outras coisas, que as lojas têm acesso apenas às informações necessárias para a entrega dos produtos adquiridos por meio da compra com a carteira digital e não a todos os seus dados pessoais e financeiros.

Na verdade, uma das grandes vantagens das carteiras digitais é exatamente este: a segurança. Afinal, o consumidor não precisará sequer digitar o número do seu cartão em uma loja virtual, evitando que seus dados sejam armazenados por diversas lojas diferentes. Além disso, os provedores de serviço de carteira digital investem pesado em mecanismos para evitar fraudes, pois quanto mais competente um serviço for no combate às fraudes, mais competitivo ele será no mercado.

 Android Pay

Imagem: Divulgação

Também é importante alertar os consumidores para o uso da autenticação de dois fatores nos smartphones utilizados para acessar a carteira virtual, pois o recurso permite aos usuários cadastrar seus números celulares para receberem mensagens ou ligações sempre que um pagamento for realizado, aprovando ou não a transação.

Apesar das dificuldades enfrentadas pelos serviços de carteira digital no Brasil, não podemos ignorar seu crescimento no mundo. O Samsung Pay, por exemplo, já foi usado em mais de US$ 30 milhões de transações na Coréia do Sul, de acordo com a empresa responsável pelo sistema. Já a consultoria Juniper Research estima que o mercado terá 200 milhões de usuários de carteiras digitais no mundo até o final de 2016. 

Agora o que nos resta é esperar para ver os próximos passos das empresas de tecnologia em relação à implantação de seus serviços no Brasil, bem como a reação dos grandes bancos à chegada de opções como Apple Pay e Android Pay.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar