Publicidade nativa, profissionais de mídia e novas formas de anunciar

Por Colaborador externo | 22.10.2014 às 16:00

*Por Patrícia Farinazzo

Não é novidade que a mídia tem evoluído e passado por transformações. Com isso, diversos canais se abrem para a publicidade, seja no ambiente online ou no offline. Mas o grande desafio que profissionais do setor vêm enfrentando é como explorar todos esses espaços e realmente chamar a atenção e impactar consumidores em meio a tantos anunciantes.

Segundo um levantamento realizado pela irlandesa PageFair e pela norte-americana Adobe, o número de pessoas usando ferramentas para bloquear qualquer tipo de publicidade na internet cresceu 69% de janeiro a junho de 2014, nos Estados Unidos. Isso aponta que, cada vez mais, as pessoas estão tentando fugir de serem impactadas durante a navegação na rede.

Para tentar driblar essas ferramentas, uma tendência que vem se popularizando muito nos últimos anos é a publicidade nativa, ou content marketing, que nada mais é que um conteúdo editorial, muitas vezes escrito por um jornalista, com conteúdo publicitário inserido de forma implícita. Algumas pessoas tem confundido tal formato com os chamados “publieditoriais”, que, em meio à polêmicas, vem ganhando força principalmente no universo das blogueiras de moda e beleza. O fato é que a publicidade nativa está, cada vez mais, sendo incorporada ao nosso cotidiano. De acordo com a também norte-americana Dedicated Media, a publicidade nativa aumenta cerca de 53% a intenção de compra ao mesmo tempo que gera 82% mais interação com a marca, o que acaba refletindo também em aumento de vendas, além de contribuir reputação e aceitação das marcas.

Uma grande aliada dos profissionais de publicidade nessa negociação dos anúncios nativos são as agências de afiliação, que, com sua rede de publishers, conseguem atingir diversos públicos, de acordo com o target de cada campanha.

É exatamente por meio desta rede de afiliados – que pode ser composta desde blogueiros a portais de cupons, por exemplo – que uma agência de afiliação consegue planejar uma ação e atingir públicos dos mais diferentes segmentos, de acordo com seu perfil e interesse. Para o anunciante, o modelo consegue entregar mídia de alta performance; para o Publisher, garante a monetização do conteúdo.

Por tudo isso, as principais agências de afiliação do mundo acabam oferecendo também uma consultoria para auxiliá-los na criação de conteúdos de qualidade.

Veja abaixo alguns desses conselhos, que são valiosos na hora de publicar esse tipo de publicidade:

  1. Gere conteúdo relevante. Não adianta nada você chamar atenção e, na hora de ler o conteúdo, o consumidor perder o interesse. O que é preciso fazer é se inserir no contexto do leitor e perceber o que é de fato interessante para ele. Isso agregará à marca e surpreenderá quem é impactado.
  2. Seja natural. Forçar um relacionamento que não existe acaba sendo pior que simplesmente não se relacionar. O leitor percebe quando algo está sendo imposto.
  3. Seja criativo e utilize uma arte bonita e atrativa. Já ficou mais do que comprovado que uma postagem atrativa visualmente chama muito mais a atenção do que uma sem graça. É preciso se destacar para ser visto.

E você? Está preparado para estas mudanças no mundo da publicidade?

*Patrícia Farinazzo é formada em Comunicação Social pela FMU FIAM FAM e atualmente é Account Manager de Publishers na zanox, agência de afiliação.