Grandes distribuidoras de Linux estão parando de lançar versões de 32 bits

Por Redação | 01 de Julho de 2016 às 19h55

Já tem mais de dez anos que computadores com processadores de 64 bits estão entre nós e, portanto, está cada vez mais raro ter um sistema de 32 bits. Por conta disso, várias distribuidoras do sistema operacional Linux estão parando de lançar versões de 32 bits do programa.

O mais recente movimento nesse sentido vem dos distribuidores do Ubuntu. Em uma recente proposta publicada numa lista de e-mail, Dimitri John Ledkov, do próprio Ubuntu, afirmou que plataformas 32 bits estão ficando raras e que não vale mais a pena ficar criando e testando versões nesses computadores.

Sendo assim, o vindouro Ubuntu 16.10 não terá imagens de 32 bits nas versões Desktop e Server. Versões de 32 bits ainda poderão ser instaladas por questões de compatibilidade, mas somente através de instaladores mais tradicionais. Para a versão 18.10, prevista para 2018, os planos são de encerrar o suporte para programas de 32 bits. Quem quiser fazer isso, terá que usar uma máquina virtual ou um contêiner.

O Fedora já não oferece imagem de 32 bits na versão 24 para servidor. Embora tenha tentado fazer a mesma coisa com a versão Workstation, o Fedora 24 ainda tem uma versão legada. No entanto, as máquinas de 32 bits já não são mais importantes, pois problemas nelas não mais impedem o lançamento do produto. O OpenSUSE Leap sequer tem versão de 32 bits.

Embora a grandes distribuidoras de Linux devam cada vez dar menos atenção à comunidade 32 bits, ainda haverá softwares para as plataformas. O Ubuntu 16.04, por exemplo, tem suporte até 2021. Além disso, há distribuições Linux especializadas em atender essas máquinas mais antigas.

Com informações de PCWorld.