Primeiros celulares com Ubuntu devem chegar ainda em 2014

Por Redação | 26.09.2014 às 13:02
photo_camera Divulgação

Os tempos de hackear celulares e sonhar com a chegada do Linux aos smartphones estão prestes a acabar. A Canonical anunciou nesta sexta-feira (26) que está disponibilizando oficialmente para seus parceiros e fabricantes a primeira versão final do Ubuntu Touch, seu sistema operacional para o mundo mobile.

Mais do que isso, o primeiro dispositivo oficial com a plataforma deve dar as caras em dezembro, pelo menos no mercado chinês. Estamos falando do MX4, aparelho que será fabricado pela Meizu e deve servir como o grande responsável por introduzir o sistema operacional no mercado, com sua cota de aplicativos dedicados e suporte completo para os novos usuários.

Trata-se, na verdade, de uma edição especial de um aparelho que também chegará ao mercado com o sistema operacional Android. Ainda não existem informações oficiais, mas especificações vazadas dessa tal versão “Pro” indicam a presença de um processador Samsung Exynos 5430, 4 GB de memória RAM e tela de resolução 2560 x 1536 pixels, constituindo um aparelho entre o médio e o alto padrão. Tudo o que a Canonical precisa para levar seu novo sistema operacional às alturas, como mostra o site da PC World.

É uma boa notícia principalmente levando em conta um dos principais ideais da empresa, que é convergir computadores e smartphones em uma única plataforma. Um dos principais diferenciais do Ubuntu Touch é a possibilidade de ligá-lo a monitores, teclado e mouse. Assim, a interface assumiria os ares do sistema operacional que as pessoas já conhecem nos computadores, permitindo um trabalho que pode ser continuado na touchscreen e levado para qualquer lugar, no bolso.

Sendo assim, uma configuração robusta é essencial para o sucesso dessa empreitada e é justamente isso que a Meizu parece disposta a entregar. É claro, as configurações ainda não são oficiais, mas dá para levá-las como bem próximas da verdade, já que aparelhos mais modestos não serviriam a esse propósito, nem o de mostrar o que o Ubuntu Touch é capaz de fazer.

Além disso, trata-se de uma diferenciação de modelo em relação àquela que é vista como sua principal concorrente, a Mozilla. Ao introduzir o Firefox OS no mercado, a organização preferiu seguir o caminho oposto e apostar nos celulares de baixo custo, com alguns modelos chegando a custar menos de US$ 100 e um investimento total na adoção em massa, antes de seguir para o topo com dispositivos mais poderosos.

O ideal de liberdade do sistema operacional Linux também estaria presente na forma como o aparelho é vendido. A ideia da Canonical é comercializá-lo sem contratos com operadoras de telefonia, com preços entre US$ 200 e US$ 400 (ou seja, variando entre cerca de R$ 480 a R$ 950). A ideia, então, é de um dispositivo com alto poder de processamento mas valor de médio porte, incentivando sua adoção e popularização entre os usuários que não querem pagar muito mas desejam produtos de alta tecnologia.

Outros caminhos

Além de trabalhar com a Meizu, com foco no mercado chinês, a Canonical também deu as mãos à BQ. A fabricante espanhola ainda não anunciou oficialmente o lançamento dos primeiros aparelhos com o sistema operacional, mas já disse estar bastante disposta a fazer isso o mais rápido possível, só que com foco no público ocidental.

Ubuntu Touch

Além disso, os usuários mais fanáticos por modificações e com alto conhecimento técnico também poderão hackear seus telefones para rodar o Ubuntu Touch. Esse é um ato que já vinha sendo feito com as versões do sistema operacional para desenvolvedores, e que agora, deve alçar voos ainda mais altos com a chegada da versão final.

Entre os celulares preferidos para participar deste processo estão os modelos mais recentes da linha Nexus, cujas configurações robustas permitem que seus usuários tenham uma bela noção do que o Ubuntu Touch é capaz de alcançar em um celular de topo de linha. É um processo que, na visão da Canonical, é semelhante ao que vemos hoje no mercado de computadores, com a diferença aqui sendo a exigência de um pouco mais de trabalho.

Para o Brasil, porém, nada confirmado ainda. O Ubuntu Touch pode sim ser baixado por qualquer um, mas por enquanto, não temos novidades sobre a chegada dos celulares com o sistema por aqui.