Drone do governo americano terá sistema baseado em Linux

Por Redação | 12.05.2014 às 08:06

O governo americano está prestes a aplicar sistemas de código aberto em mais uma parte de seu aparato militar. Pelo menos é isso que indicam relatos publicados pelo site Avionics Intelligence, que contam que a Força Aérea dos Estados Unidos não vai renovar seu contrato com a Oracle e apostará no Linux para controlar um de seus programas de drones.

Trata-se, mais especificamente, do Norhtrop Grumman MQ-8, um helicóptero não tripulado que tem o simpático apelido de Fire Scout, ou “sentinela de fogo”. Usado em missões de reconhecimento ou como suporte para tropas e veículos em solo, ele é controlado a partir de uma base naval de Patuxent River, no estado norte-americano de Maryland, e pode ser carregado com misseis guiados por laser.

Segundo o relato, a preferência dos engenheiros de Patuxent River por sistemas de código aberto teria sido registrada pela primeira vez em 2012. A substituição do sistema Solaris, da Oracle, por uma arquitetura baseada em Linux deve permitir um fluxo maior de atualizações, além de permitir que o governo dos EUA tenha um controle maior sobre suas próprias soluções de combate.

A multinacional, porém, discorda da mudança. Em estudo publicado no final de 2013, a Oracle afirmou que o uso de sistemas operacionais de código aberto representa um risco de segurança real para instalações militares. Além disso, disse que softwares baseados em Linux podem não ter custos financeiros, mas exigem muito mais horas de trabalho que acabam, no fim das contas, custando tanto quanto a licença de um produto como o Solaris, por exemplo.

Não dá para saber ao certo se a mudança de fornecedor do MQ-8 é apenas um teste ou o início de uma tendência real do governo do país, mas os esforços da Oracle para permanecer com seus contratos indicam que se trata do segundo caso. Por enquanto, porém, apenas o Fire Scout passará a contar com um sistema operacional Linux.