5 sinais que mostram que você deve migrar para o Linux

Por Douglas Ciriaco

O Linux já foi visto como um verdadeiro bicho de sete cabeças incompreensível e quase inutilizável pelos reles mortais, mas esse tempo passou. Atualmente, existe um sem número de distribuições Linux altamente amigáveis para o usuário final, portanto migrar para uma delas não é algo exatamente difícil.

De qualquer forma, se você ainda está em dúvida, aqui vão alguns sinais de que talvez você deva fazer a migração. Isso é, algumas características de uso do Windows podem indicar se você vai encontrar um campo fértil para as suas necessidades de uso ao escolher uma distribuição.

1. Preferência por software livre

Uma das principais características que “denunciam” a sua pré-disposição para o Linux é a adoção de software livre. Logicamente que no Linux há uma série de aplicativos “fechados”, ou seja, que não são open source, mas normalmente a base de tudo ali é a liberdade.

Se você nutre apreço por aplicativos desenvolvidos pela comunidade, ou então aqueles em que os desenvolvedores abrem seus códigos, algo que costuma incrementar a segurança e agilizar o desenvolvimento de tudo, optar por uma distribuição Linux pode ter mais a ver com seu perfil.

Mudar para Linux

2. Vontade de ter controle completo sobre o sistema

Usar Windows é, muitas vezes, esbarrar em uma série de limitações. Algo comum para um sistema operacional amplamente utilizado por leigos e por usuários mais experientes, o sistema tem vários entraves que dificultam o controle completo sobre inúmeras de suas funções — além de vir pré-configurado de forma a ser o mais automático possível, o que nem sempre é interessante.

Então, se você é o tipo de usuário que gosta de comandar as coisas, de configurar o que der, de resolver as coisas sozinho, então essa é mais uma característica que o torna propenso a instalar uma distribuição Linux em sua máquina.

3. Apreço por mudanças de visual

Usar o Windows tem significado cada vez menos alterações visuais e o sistema mantém sempre o mesmo aspecto gráfico na Área de Trabalho. Se por um lado isso é bom para quem não gosta de ter que se adaptar a novidades, aqueles que buscam uma experiência mais personalizada acabam se frustrando

No Linux, em basicamente qualquer distribuição, você tem as duas coisas sempre à mão. Isso porque há uma quantidade enorme de ambientes que podem ser instalados no sistema para torná-lo ainda mais variado. E, normalmente, isso pode ser feito sem muito trabalho, algo sempre importante.

4. Gosto por linhas de comando

Vamos dizer que você não se acanha em resolver problemas do Windows usando linhas de comando quando isso é preciso. Muito da má fama, digamos assim, do Linux vem exatamente do fato do sistema ser centrado nas linhas de comando, embora isso também tenha mudado.

Hoje em dia, as principais distribuições para usuários domésticos oferecem todos os seus recursos com interface gráfica, mas ainda há soluções que muitas vezes são mais práticas de serem alcançadas por meio das outrora temidas linhas de comando. Aliás, esse ponto se associa perfeitamente ao que trata de um maior controle do sistema, pois não há nada que não possa ser feito por meio do Terminal.

5. Preferência por jogos indies

Este é um ponto interessante. Outro ponto negativo das distribuições Linux é exatamente a ausência de grandes jogos, mas isso também vem mudando — o Steam, por exemplo, tem versão oficial para Ubuntu e já conta com mais de mil jogos disponíveis para o sistema do pinguim.

Mudar para Linux

Entretanto, se o seu negócio na hora de jogar no PC é fortalecer a cena de games indies, mudar para Linux não será nenhum problema. Além de plataformas como Steam e Desura, que oferecem um grande número de jogos independentes, é comum que os desenvolvedores ofereçam versões para o sistema livre, ampliando sua comunidade de jogadores.

Essas dicas podem dar uma luz no pensamento de quem está pensando em mudar de sistema operacional. Lembrou de mais alguma característica que “denuncia” uma pré-disposição para usar Linux? Escreva nos comentários!

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.