5 coisas para fazer assim que instalar o Ubuntu no seu PC

Por Sérgio Oliveira

Então você finalmente decidiu testar o Ubuntu no seu computador ou abandonar de vez o Windows e viver a filosofia do software livre. Embora essa realidade seja cada vez mais frequente, muita gente ainda se sente perdida quando dá de cara com a principal distribuição Linux da atualidade.

Isso acontece por estarmos falando de dois sistemas operacionais bem distintos, que miram públicos-alvo diferentes. Mesmo assim, é possível, sim, tornar a transição entre o software da Microsoft e o sistema do Pinguim menos traumática, sobretudo para os marinheiros de primeira viagem. Tal qual fazemos no Windows, onde definimos preferências de configuração e um tema para a área de trabalho, além de ajustes finos para deixá-lo do jeito que queremos, também é possível fazê-lo no Ubuntu e continuar tão produtivo quanto antes.

Se você está pensando em dar uma chance ao Linux ou já se arriscou nessa aventura e se sentiu inseguro, confira abaixo nossa lista com 5 coisas para se fazer assim que terminar de instalar o Ubuntu.

1. Tudo atualizado

Assim como acontece na maioria dos sistemas operacionais atuais, baixar o ISO do Ubuntu, gravá-lo e instalar o SO não significa necessariamente que você está rodando a última versão de tudo o que ele traz. Isso é verdade principalmente para os aplicativos de terceiros que acompanham o sistema.

Para evitar problemas de desempenho, estabilidade e principalmente de segurança, a principal recomendação é atualizar todos os aplicativos imediatamente. Diferente do Windows, onde nós teríamos que ir no site de cada desenvolvedora e baixar a nova versão de cada app individualmente, no Linux nós contamos com o Gerenciador de Atualização, que verifica e instala todos os updates automaticamente sem termos que nos preocupar com isso.

Para executá-lo, abra o Terminal no Ubuntu, digite o comando sudo apt-get update e pressione "Enter" no seu teclado. A senha de administrador do sistema será solicitada. Forneça-a e confirme pressionando "Enter" para ver o sistema atualizando as informações do seu repositório de softwares.

O comando update atualiza as informações do repositório de softwares da sua instalação do Ubuntu

O comando update atualiza as informações do repositório de softwares da sua instalação do Ubuntu (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Após o término do processo, digite o comando sudo apt-get upgrade para que o Ubuntu procure e instale as versões mais recentes dos softwares instalados no seu computador. Em algum momento ele pedirá sua confirmação para continuar o processo. Nesse ponto, basta teclar "S" e confirmar.

Já o comando upgrade atualiza tudo o que está instalado no seu sistema operacional

Já o comando upgrade atualiza tudo o que está instalado no seu sistema operacional (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Pronto, agora o seu Linux está todo atualizado e pronto para ser usado.

2. Instalar codecs de vídeo

Como todo bom usuário de computador, é bastante provável que você vai querer aproveitar o Ubuntu para assistir aos seus filmes, seriados e clipes favoritos, não é mesmo? Assim como no Windows, antes de sair por aí fazendo maratonas de série ou sessões de cinema caseiras você terá que instalar codecs para os diversos formatos existentes por aí.

Atualmente, essa é uma tarefa bastante simples e exige a digitação de apenas um comando no Terminal. Sendo assim, abra-o, digite o comando sudo apt-get install ubuntu-restricted-extras e confirme pressionando "Enter".

O pacote de recursos extra do Ubuntu instala diversos codecs e plugins exigidos para rodar diferentes formatos de vídeo e áudio

O pacote de recursos extra do Ubuntu instala diversos codecs e plugins exigidos para rodar diferentes formatos de vídeo e áudio (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Se por alguma obra do destino um arquivo em específico não rodar depois de executar o comando anterior, isso significa que um codec está faltando. Para poupar o trabalho de procurá-lo, o caminho mais fácil é instalar o VLC Player, que já vem com uma porção absurda de codecs embutidos e facilita a vida de qualquer pessoa.

Para instalar o VLC Player no Ubuntu, basta digitar o seguinte comando no Terminal: sudo apt-get install vlc. Confirme pressionando "Enter" e curta a vida assistindo ou ouvindo ao que você mais gosta na sua distro Linux, já que o VLC também vem com praticamente todos os codecs de música embutidos.

Caso o sistema se recuse a rodar algum arquivo, sempre há a alternativa do VLC, um reprodutor que já traz uma infinidade de codecs embutidos

Caso o sistema se recuse a rodar algum arquivo, sempre há a alternativa do VLC, um reprodutor que já traz uma infinidade de codecs embutidos (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

3. Configure ou altere sua área de trabalho

Por padrão, o Ubuntu vem com uma interface de usuário chamada Unity que é alvo de incontáveis reclamações de quem usa o sistema no dia-a-dia. Por sorte, é possível modificá-la da maneira que você quiser ou até mesmo substitui-la por uma interface que lhe deixe mais confortável.

Se você quiser insistir um pouco e tentar modificá-la para ficar mais com a sua cara, basta instalar o Unity Tweak Tool, que lhe dará controle sobre praticamente todos os aspectos da interface gráfica. Para baixar e instalar a Unity Tweak Tool, abra o Terminal e execute o seguinte comando: sudo apt-get install unity-tweak-tool.

Pronto, depois disso é só sair clicando nas opções de interface que você quer ajustar, modificar seus valores e confirmar.

Se mesmo com todas essas modificações você não foi com a cara da Unity, então o mais recomendável é abrir mão dela e instalar uma interface de usuário completamente nova. Gnome, LXDE, KDE e MATE são apenas algumas das opções disponíveis e amplamente documentadas em fóruns sobre open source na internet.

Para evitar a fadiga, nós aconselhamos baixar e instalar o Ubuntu Gnome, uma versão da distribuição homologada pela Canonical e que vem com o ambiente Gnome no lugar da Unity. Ele é bem mais funcional e, guardadas as devidas proporções, semelhante ao que vemos no Windows, Android e iOS. Vale a pena testá-la para ser feliz.

Diferente da Unity, o Gnome oferece um ambiente menos estranho para quem vem de um sistema operacional como o Windows

Diferente da Unity, o Gnome oferece um ambiente menos estranho para quem vem de um sistema operacional como o Windows (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

4. Configure uma conta na nuvem

Até há algum tempo, o Ubuntu vinha com o Ubuntu One, um serviço de armazenamento na nuvem próprio, nos moldes do SkyDrive da Microsoft, por exemplo. A iniciativa acabou não dando muito certo e foi abandonada, deixando os usuários do sistema de mãos atadas, já que há uma oferta extremamente baixa de apps do tipo para ele.

De todos os grandes players atuais do mercado, o único que disponibiliza um aplicativo oficial para PCs com Linux é o Dropbox. É possível instalá-lo acessando a Central de Programas. Lá, procure por "Dropbox" e o instale a partir dos resultados da busca.

Infelizmente, o Dropbox é o único grande serviço de armazenamento na nuvem que disponibiliza o app oficialmente para o Linux

Infelizmente, o Dropbox é o único grande serviço de armazenamento na nuvem que disponibiliza o app oficialmente para o Linux (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Se você não for usuário do Dropbox, ou por algum motivo não quer aderir ao serviço, as alternativas são escassas, porém existentes. Podemos citar como exemplos o Copy e Bitcasa. No caso do Copy, o serviço oferece 15 GB de espaço de armazenamento na nuvem e um ótimo suporte multiplataforma. Enquanto isso, o Bitcasa disponibiliza 20 GB gratuitamente, embora limite a quantidade de dispositivos conectados em apenas três. Outro grande fator que pode surgir como desafio para usuários leigos é que o cliente do Bitcasa é todo baseado em linhas de comando.

5. Sincronize seu smartphone

Muita gente não liga muito para serviços de armazenamento na nuvem e tudo o que elas querem é poder transferir um arquivo do smartphone para o computador e vice-versa. E quer saber de algo bom? Fazer isso no Ubuntu não é difícil.

É bem verdade que isso já foi bem complicado, principalmente para quem usa iPhone ou iPad, mas hoje em dia tudo é bastante simples graças a uma biblioteca chamada libimobiledevice. Graças a ela, o Ubuntu é capaz de saber como se comunicar apropriadamente com dispositivos iOS. Para instalar a libimobiledevice, abra o Terminal e digite o seguinte comando: sudo apt-get install libimobiledevice. Pronto, agora sempre que você conectar o seu iPhone ou iPad ao seu computador com Ubuntu uma pasta com seus arquivos aparecerá na tela.

Para quem quer apenas fazer o gerenciamento de arquivos multimídia, infelizmente não há uma versão do iTunes para Linux. Contudo, é possível fazer as ações mais básicas usando o Rhythmbox, um app capaz de reconhecer o iDevice conectado ao computador e os arquivos multimídia que ele contém.

O Rhythmbox é uma alternativa básica para usuários de iPhone e iPad que querem gerenciar suas músicas no Pinguim. App já vem instalado nas mais recentes versões do Ubuntu

O Rhythmbox é uma alternativa básica para usuários de iPhone e iPad que querem gerenciar suas músicas no Pinguim. App já vem instalado nas mais recentes versões do Ubuntu (Imagem: Captura de tela / Sergio Oliveira)

Se você for usuário Android, tudo isso é mais fácil ainda, já que basta conectar o aparelho no computador e correr para o abraço - sem complicações. Já a sua praia for Windows Phone, aí infelizmente não tem jeito - não há nenhum programa que ofereça suporte ao sistema operacional móvel da Microsoft.

É claro que há várias outras coisas que podem ser feitas depois de instalar o Ubuntu no computador. Qual a sua dica? O que você julga ser mais interessante? Compartilhe conosco e com o mundo na caixa de comentários aqui embaixo.

Também não deixe de conferir: