20 alternativas de programas famosos do Windows para Linux

Por Felipe Arruda

Depois de ter instalado o Ubuntu e de aprender como adicionar e remover softwares do sistema, chega a hora de adaptar o novo ambiente às necessidades do usuário. É nesse momento, por exemplo, que muitos se dão conta de que aquele programa de edição de imagens favorito não possui versão para Linux, assim como o famoso processador de textos usado pela maioria das pessoas.

Apesar disso, o Linux possui alternativas a todos esses programas e, na maior parte das vezes, elas são compatíveis com suas contrapartes em Windows. Para facilitar a vida de quem procura por esses softwares, o Canaltech preparou uma lista com 20 opções que podem substituir programas famosos de outros sistemas.

E não se esqueça: caso você tenha uma sugestão que não esteja neste artigo, publique-a nos comentários. Afinal, compartilhar conhecimento é uma das afinidades que mantém a comunidade Linux tão unida.

1. Adobe Photoshop – GIMP

Essa é uma das alternativas mais procuradas e discutíveis de toda a lista. Desde o surgimento do GIMP que ele é tido como a grande promessa para um substituto à altura do Photoshop, dividindo as opiniões entre aqueles que amam o software da Adobe e aqueles que preferem a liberdade do software aberto.

Gimp

Comparações à parte, uma coisa é certa: o GIMP é um ótimo editor e está equipado com tantos recursos que serve como um verdadeiro canivete suíço para designers e outros profissionais que trabalham com imagens. Como se não bastasse, o GIMP consegue abrir arquivos PSD e até mesmo possibilita algumas edições neles. Além disso, muitas personalizações podem ser feitas para que o software fique ainda mais parecido com o Photoshop, como definir os mesmos atalhos de teclado, instalar plugins extras e até mesmo perfis de cores.

2. MS Office – LibreOffice

A suíte de escritório da Microsoft pode ser substituída pelo LibreOffice, que possui processador de textos, planilha eletrônica, software para apresentações, diagramas e até ilustração vetorial. E a melhor parte disso tudo é que além de o LibreOffice ser uma suíte robusta e muito completa, ela também é compatível com o MS Office, sendo capaz de ler, editar e até salvar arquivos no formato do Word, Excel e PowerPoint.

LibreOffice

E caso você não precise de uma suíte inteira, saiba que existem diversos softwares independentes que podem substituir os programas do MS Office. Um equivalente ao Excel, por exemplo, pode ser o Gnumeric, enquanto que o MS Word pode ser trocado pelo AbiWord.

3. Adobe Illustrator – Inkscape

O editor de gráficos vetoriais da Adobe também tem um "concorrente" no Linux. Trata-se do Inkscape, editor de imagens 2D que possui suporte para todas as principais funções encontradas em softwares comerciais: curvas, linhas, caligrafia, formas geométricas e a possibilidade de desenho a mão livre são alguns dos recursos presentes no software.

Inkscape

Além disso, o Inkscape também conta com gradientes bastante configuráveis e pode converter imagens bitmap em vetor. O formato padrão usado pelo programa é o SVG, mas o trabalho final também pode ser exportado para PNG e PDF.

4. InDesign – Scribus

Na hora de diagramar um livro, panfleto ou jornal, muitos recorrem ao Adobe InDesign, software que se tornou lider no mercado de Desktop Publishing. No Linux, há uma alternativa livre e bastante completa: Scribus, software que suporta uma grande quantidade de formatos gráficos e está disponível em mais de 20 idiomas.

Scribus

Entre os recursos profissionais oferecidos pelo Scribus estão suporte a CMYK, gerenciamento de perfis ICC e separação de cores (spot colors). Além disso, é possível automatizar tarefas com scripts feitos em Python e gerar PDFs com transparência, criptografia e campos interativos.

5. Evernote – NixNote

Evernote é um serviço online que tem como foco ajudar as pessoas a organizar informações pessoais ou de trabalho por meio de anotações online. E já que o Evernote não pretende fornecer softwares para Linux tão cedo, desenvolvedores do mundo todo resolveram dar um "jeitinho" na situação.

Evernote

Atualmente, o NixNote é um dos clientes não oficiais de Evernote para Linux. Mas existem outras alternativas, como o Everpad. Vale a pena testar cada um deles e ver qual atende melhor suas necessidades.

6. CDex – Grip, KAudioCreator e ripperX

Com a obsolescência cada vez mais concreta das mídias ópticas, nada como fazer o backup em MP3 daqueles CDs tão estimados, trazendo todo o conteúdo musical para o seu HD. Porém, quem está acostumado a recorrer ao CDex no Windows, não encontrará o mesmo software para Linux. O que não significa que faltem opções: KAudioCreator, ripperX e Grip são apenas algumas delas.

7. Nero Burning Room – K3b

O software Nero Burning Room é, provavelmente, o mais famoso quando falamos de programas para gravar CDs e DVDs. No Linux, temos o K3b, um software tão completo quanto e desenvolvido para o ambiente gráfico KDE.

K3b

Entre os recursos presentes no K3b estão a gravação de CD e DVD, extração de vídeo em DivX/XviD, cópia de discos, gravação de imagens ISO, criação de CD de áudio e muito mais.

8. Visio – Kivio, Dia

O MS Visio foi uma das última inclusões ao Microsoft Office, facilitando em muito a vida daqueles que precisam criar diagramas diversos. No Linux, uma das alternativas mais completas a ele é o Calligra Flow. Se quiser testar outra alternativa também muito conhecida e completa, opte pelo Dia.

Calligra Flow

9. iTunes – Amarok

Ouvir música no Linux está cada vez melhor. Em vez do iTunes, os "linuxers" podem recorrer ao Amarok, software que conta com suporte para playlists, equalizações pré-definidas, streaming de rádio e música pela internet e scrobbling para o Last.fm.

Amarok

Como se não bastasse, o software também conta com recuperação online de capa de discos e letras de músicas, possibilidade de assinar podcasts e sincronização de arquivos com dispositivos diversos. Outra opção bastante robusta também é o Banshee.

10. Adobe Premiere – Cinelerra

Edição de vídeo também é possível de ser feita no Linux. O Cinelerra é uma solução profissional e que trabalha com três principais processos de uma produção: captura, edição e composição de vídeos. Não há limitações de resolução, podendo o usuário trabalhar com vídeos comuns e também de alta definição, exportando-o para o formato H.264 quando precisar.

Cinelerra

Além disso, por fazer uso da tecnologia OpenGL, o Cinelerra também permite que você visualize os vídeos editados em tempo real, sem a necessidade de renderizá-los previamente.

11. AutoCAD – FreeCAD

Engenheiros mecânicos e designers de produto também podem usar o sistema do pinguim. Porém, em vez de usarem o AutoCAD, essas pessoas podem recorrer ao FreeCAD, software desenvolvido para funcionar como outros programas de sucesso, como SolidWorks, Catia e Solid Edge, sempre com foco na simulação dinâmica.

Além do FreeCad, existem outras opções que podem ajudar estudantes e profissionais da área. Entre elas se destacam o QCad, para projetos 2D, e o Archimedes.

12. Flight Simulator X – FlightGear

"Voar, voar, subir, subir". Libere o piloto (mas contenha o Biafra) que há dentro de você com o FlightGear, projeto open source e multiplataforma de um simulador de voo, desenvolvido por voluntários do mundo todo.

FlightGear

No total, já são mais de 20 mil aeroportos cadastrados no simulador, além de uma grande gama de aeronaves que vão desde planadores até aviões e caças militares. Vale a pena experimentar!

13. Maya – Blender

O Blender é uma das principais ferramentas para animação e modelagem 3D existentes hoje, tendo seu uso empregado em produções como "Homem-Aranha 2", "Big Buck Bunny" entre outros. Gratuito e de código aberto, o Blender também pode ser usado para texturização, composição, edição de vídeos e até na criação de games 3D.

Blender

14. Outlook – Evolution

Um bom cliente de email é fundamental para todo sistema operacional. No Windows, muitos preferem o MS Outlook, que também traz recursos de calendário e gerenciador de contatos. No Linux, uma das alternativas mais completas é o Evolution, que combina cliente de email com agenda de compromisso e de contatos, além de uma aplicação para anotações diversas e lista de tarefas.

Cliente de email Evolution

15. MS Visual studio – Eclipse

Desenvolvedores de software acostumados ao MS Visual Studio talvez queiram experimentar o Eclipse, um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) bastante popular e que pode ser personalizado a partir de plugins diversos.

Além disso, o software pode ser usado com as seguintes linguagens de programação: Ada, ABAP, C, C++, COBOL, Fortran, Haskell, JavaScript, Lasso, Perl, PHP, Python, R, Ruby (incluindo Ruby on Rails), Scala, Clojure, Groovy, Scheme e Erlang.

16. Windows Media Player – VLC media player

Mesmo no Windows, muitos usuários preferem trocar o reprodutor de mídia padrão pelo VLC media player. O software é muito popular e possui suporte para diversos formatos de vídeo, legendas, mídias ópticas e até mesmo stream pela internet. Vale notar que a distribuição padrão do VLC já fornece, em conjunto com o software, diversos codecs necessários para a reprodução de arquivos multimídia.

VLC player no Mandriva Linux

17. uTorrent – Transmission

O uTorrent está disponível para Linux em versão web ou de modo texto. Em fevereiro deste ano, foi anunciado que um desenvolvedor estaria preparando uma interface gráfica para o software, a Gutorrent. Mas para que esperar se o Linux possui uma alternativa tão boa quanto? O Transmission é um cliente de BitTorrent fácil de usar e com recursos como criptografia e suporte para links magnéticos.

18. VMWare – VirtualBox

Antes de partir para uma solução paga de máquinas virtuais, que tal experimentar um projeto gratuito e de código aberto? O VirtualBox compete com o VMWare na maior parte dos casos e permite que você execute, de maneira segura, mais um sistema operacional em sua máquina, ao mesmo tempo.

VirtualBox Logo

19. Adobe Encore – DVDStyler

Autoria de DVD é muito útil, por exemplo, para profissionais que trabalham com filmagens ou fotografias e precisam entregar um disco com o material vendido para o cliente. Se no Windows podemos recorrer ao Adobe Encore, no Linux temos o DVDStyler, uma ferramenta que, apesar de ainda não ser tão completa, possui recursos suficientes para a produção de DVDs com menus interativos, slideshows e múltiplas legendas e trilhas de áudio.

20. SoundForge – Audacity

Para terminar a nossa lista, outra aplicação sempre procurada por aqueles que usam o Linux: um bom editor de áudio. Embora o Sound Forge não esteja disponível para o sistema do pinguim, linuxers possuem o Audacity, um editor gratuito e de código aberto que pode ser usado em diversos sistemas operacionais e possui suporte para a gravação e edição de áudio, contando com efeitos diversos e ferramentas de análise da trilha.

Audacity

Caso algum software importante para você não tenha sido considerado nesta lista, não deixe de visitar o site Open Source as Alternative, que lista muitas outras opções de programas, organizados por categorias.

Este artigo faz parte de nossa biblioteca de conteúdo "Tudo o que você precisa saber sobre o Linux". Não deixe de acessar e conferir todo o conteúdo publicado sobre o Pinguim.