Pesquisa mostra que funcionários estão insatisfeitos com seus executivos

Por Redação | 13.06.2014 às 09:12

Para muita gente, um dos aspectos mais frustrantes de qualquer situação é observar a oportunidade passando e não poder fazer nada para aproveitá-la. Foi essa uma das bases de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo CIO Executive Council, cujo objetivo é conhecer o grau de satisfação dos funcionários com os executivos das empresas. E o resultado não foi nada bom.

De acordo com os dados publicados pelo site CIO, apenas 14% dos 400 participantes disseram estar satisfeitos com a estratégia digital de seus empregadores. Todo o restante, porém, concorda que executivos com cargos superiores aos seus poderiam aproveitar melhor as oportunidades proporcionadas pelo mercado digital não apenas como forma de aumentar os lucros, mas também para tornar o trabalho mais desafiador e instigante.

Isso se deve, principalmente, ao fato dos chamados C-Suites – como se convencionou chamar os executivos de cargos altos e siglas que normalmente começam com a letra C – tomarem decisões baseados apenas em seu conhecimento pessoal. Esse tipo de comportamento acaba sendo encarado pelo restante da equipe como uma desvalorização do trabalho deles e acaba resultando em uma maior insatisfação no cotidiano.

É uma ideia que apresenta controvérsia direta com o assunto da pesquisa, que se baseia em métodos de análise de mídias sociais, Big Data e ferramentas mobile. Ou seja, são assuntos altamente colaborativos, cujos dados precisam ser usados no processo de tomada de decisão. Na outra ponta disso, porém, não existe nenhum tipo de cultura participativa e os C-Suites acabam realizando as escolhas de maneira individual, mesmo que elas afetem todos os envolvidos no trabalho em questão.

Para o CIO Executive Council, uma estratégia colaborativa não é apenas melhor para levantar a moral dos funcionários como também pode trazer resultados mais positivos na prática. Segundo os realizadores da pesquisa, o compartilhamento de informações e vivências não apenas podem apressar o processo de tomada de decisão como também ajudar a antecipar mudanças de cenário e desafios, já que cada envolvido no processo trará sua própria experiência na questão.

De acordo com a pesquisa, a ideia é pensar no futuro, já que é disso que são feitos os game-changers. Quando se trata do mercado de tecnologia, algo com que praticamente todo mundo tem contato, a questão se torna ainda mais importante, pois os executivos de alto escalão não são os únicos em contato direto com a plataforma. Muito pelo contrário, diretores e outros funcionários podem ter até mesmo maior relação com os sistemas do que seus próprios dirigentes.

A pesquisa parece ter ido direto ao ponto. Segundo ela, o número de diretores que efetivamente delegam funções para seu pessoal mais próximo é de apenas 12%. O número é bastante semelhante ao índice de satisfação dos funcionários com as políticas de suas empresas e, apesar da tecnologia ser dita como algo capaz de derrubar barreiras, nas empresas, elas continuam bastante erguidas.