Tesla está sob investigação criminal do FBI, segundo WSJ

Por Rafael Arbulu | 29 de Outubro de 2018 às 09h34
DepositPhotos
Tudo sobre

Tesla

Reportagem publicada pelo jornal americano Wall Street Journal dá conta de mais uma batalha judicial que pode estar se aproximando da Tesla: segundo fontes do periódico, que falaram em condição de anonimato por estarem muito próximos da situação, o FBI abriu uma investigação criminal contra a montadora de carros elétricos fundada por Elon Musk. A suspeita é de que a Tesla teria mentido em suas estimativas de produção do sedã Model 3, efetivamente enganando investidores da companhia sobre seus negócios.

A empresa, contudo, negou as informações. Falando por meio de um porta-voz, a Tesla confirmou ter colaborado com um “pedido voluntário de documentação” feito pelo Departamento de Justiça no começo do ano, mas que nenhuma nova requisição lhe foi feita por meses. "Nós não recebemos nenhuma intimação, pedido de depoimento ou nenhuma outra documentação judicial formal, e há meses não há nenhum pedido por mais documentação vindo do Departamento de Justiça", esclareceu a companhia.

O sedã elétrico Model 3, da Tesla, é objeto de investigação do FBI, segundo matéria do Wall Street Journal

O Model 3, novo sedã da Tesla, teve a sua estimativa de produção aumentada no primeiro semestre deste ano e o próprio Elon Musk prometeu entregar uma meta de 5 mil veículos por semana neste segundo semestre. Embora tenha passado por diversas dificuldades para atingir esse número, a Tesla conseguiu entregar os carros prometidos, ainda que com seis meses de atraso. Ainda assim, o sedã apresentou boas vendas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O ano de 2018 marcou a Tesla por suas idas e vindas com a justiça dos EUA. Desde agosto, o comportamento errático do fundador, Elon Musk, levou a um processo movido contra a empresa pela Comissão de Valores Mobiliários (SEC, na sigla em inglês) que resultou em um acordo: Elon Musk e Tesla pagariam multa de US$ 20 milhões cada, com o advento de que Musk deixaria a presidência do conselho de diretores da montadora (ele ainda é o CEO da Tesla, porém).

Fonte: Wall Street Journal (assinantes); CBS News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.