Tesla é acusada de ser um ambiente racista em ação judicial coletiva

Por Redação | 14 de Novembro de 2017 às 11h10
photo_camera Mota

A Tesla mais uma vez é acusada por ex-funcionários de racismo, desta vez com um processo coletivo que alega que o ambiente é um "viveiro de comportamento racista".

De acordo com a ação, os insultos racistas contra funcionários negros são recorrentes dentro da fabricante de automóveis. O documento do processo ainda conta que Elon Musk, CEO da empresa, disse em nota enviada no dia 31 de maio que as vítimas devem ser fortes, ou seja, ignorar os insultos, e que desculpas devem ser aceitas.

O processo não é o primeiro caso de preconceito a ser registrado pela corte dos Estados Unidos contra a Tesla. Também estão em aberto queixas de preconceito contra homossexuais e pessoas mais velhas.

A ação coletiva liderada por Marcus Vaughn registra que existem mais de 100 casos de discriminação racial em forma de insultos verbais e pichações nas instalações da empresa. O ex-funcionário trabalhou na Tesla por seis meses e foi demitido por "não ter atitude positiva".

Em outubro deste ano, outros três ex-funcionários processaram a companhia pelo mesmo motivo, no mesmo mês em que a Tesla demitiu cerca de 700 pessoas devido a uma reavaliação de desempenho.

A Tesla ainda não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: Gadgets 360, Bloomberg

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.