Tesla deve ser responsabilizada por acidentes com carro autônomo

Por Redação | 15 de Julho de 2016 às 17h56

O primeiro acidente fatal envolvendo um carro autônomo da Tesla causou grande polêmica nos Estados Unidos e o caso ainda está longe de um desfecho. Isso porque a empresa deve ser responsabilizada pelo acidente mesmo após prevenir os motoristas para que fiquem atentos ao volante também quando o carro estiver no piloto automático.

No comunicado emitido no final de junho em que lamentava o ocorrido com Joshua Brown, 40 anos, morto no acidente com o Tesla Model S, a empresa voltava a frisar que o piloto automático “é um acessório de assistência que requer que o motorista fique com as mãos no volante o tempo todo”, mas isso não é o suficiente para isentá-la de culpa, conforme informa o site Automotive News.

“No momento em que vi que a Tesla estava chamando o recurso de Piloto Automático, eu imaginei que era uma má jogada”, comenta à publicação o advogado Lynn Shumway, especializado em casos contra fabricantes de veículos. “Só pelo nome, você não está dizendo às pessoas que deixem de prestar atenção?”, continua.

Conceito perigoso

Também advogado especializado em casos movidos por motoristas contra fabricantes de veículos, Tab Turner partilha de ideia semelhante. “Há um conceito no direito chamado de aborrecimento atrativo”, comenta. “E estes dispositivos estão indo bem nesta direção. Eles são vendidos como uma onda do futuro, mas, em letras miúdas, eles dizem: 'não faça nada além de ficar atento'. É um conceito perigoso.”

E a responsabilização da Tesla neste caso pode ser algo ainda mais evidente ao se levar em conta alguns pormenores que podem ser levantados por parte da acusação, como o fato de o software da empresa não fazer o suficiente para manter o motorista em alerta ou então a falha que impediu o sensor de reconhecer o caminhão à sua frente graças à cor da traseira.

O veículo especializado em carros Consumer Reports é outro que olha com desconfiança para a tecnologia da empresa de Elon Musk,chegando ao ponto de convocar a empresa a desativar o recurso de piloto automático em mais de 70 mil veículos. “Ao fazer propaganda de seu recurso como 'Piloto Automático', a Tesla dá ao consumidor a falsa sensação de segurança”, defende a vice-presidente de política do consumidor e mobilização do site.

A Tesla se defende

Por sua vez, a fabricante dos carros autônomos mais famosos do mundo se defende dizendo que “introduz, constantemente, aprimoramentos provados em milhões de milhas durante testes internos para garantir que os motoristas que utilizam o Piloto Automático estejam mais seguros do que aqueles que operam [um veículo] sem assistência”.

O fato é que mesmo que estes primeiros casos não cheguem à justiça, os especialistas acreditam que outros podem ir. Com isso, é só questão de tempo até que os imbróglios envolvendo acidentes com carros autônomos se tornem cada vez mais comuns.

Fonte: Automotive News

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!