Siga o @canaltech no instagram

Qualcomm e Apple se preparam para nova briga na justiça norte-americana

Por Rafael Arbulu | 16 de Abril de 2019 às 16h39
CNN
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

A Apple deve levar a Qualcomm novamente à justiça dos Estados Unidos na próxima segunda-feira (22). O motivo é o mesmo das divergências anteriores (e que já resultaram em uma derrota considerável para a “Maçã”): a empresa liderada por Tim Cook acusa a fabricante do chipset Snapdragon de cobrar valores indevidos e irreais de licenciamento de suas tecnologias para a Apple e fornecedores. Em contrapartida, a Qualcomm também quer exigir na justiça que a Apple faça o pagamento de royalties devidos pelo uso de seus produtos.

A fabricante do iPhone está procurando indenização em torno de US$ 27 bilhões, ao passo que a Qualcomm quer receber aproximadamente US$ 7 bilhões mais as despesas judiciais da Apple.

Ambas as empresas contavam com uma parceria altamente rentável: a Apple usava tecnologia da Qualcomm de realizar ligações telefônicas em seus aparelhos, enquanto a Qualcomm gozava de receber um valor módico por cada iPhone vendido. Entretanto, esse “namoro” tornou-se um pesadelo para as empresas, que vêm acionando processos judiciais uma contra a outra nos últimos dois ou três anos.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
Tim Cook (foto), o CEO da Apple, deve prestar novo depoimento na justiça americana, no processo recorrente que a empresa tem com a fabricante de chipsets Qualcomm

No dia 22, o CEO da Apple, Tim Cook é esperado para prestar seus depoimentos. O julgamento deve durar entre duas e seis semanas. "As implicações aqui não são apenas para a Apple ou para a Qualcomm, mas sim para os acordos de licenciamento que a Qualcomm tem com outras empresas ao redor do mundo”, disse Mark Patterson, professor de Direito da Universidade Fordham de Direito e Legislação. “As dezenas de bilhões de dólares potencialmente pedidos por Apple e Qualcomm são na verdade uma pequena parte do que este caso afeta”.

Patterson explica que, no caso de uma decisão favorável à Apple, outras empresas que façam negócios com a Qualcomm podem querer rever, na justiça, os termos de suas próprias parcerias, potencialmente afetando as expectativas de negócio da empresa.

Qualcomm e Apple possuem disputas judiciais relacionadas a royalties e patentes desde 2017, ambas adquirindo algumas vitórias de lá até aqui: a mais recente veio em março de 2019, quando uma juíza disse que a Apple violou uma patente da Qualcomm e recomendou a paralisação das vendas de alguns modelos de iPhone.

Fonte: CNN Business

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.