Funcionários da Fitbit são indiciados por roubo de segredos comerciais

Por Patrícia Gnipper | 15 de Junho de 2018 às 16h22

Um funcionário atual e cinco ex-empregados da Fitbit acabam de ser indiciados pela justiça norte-americana por terem roubado segredos comerciais da Jawbone, onde trabalhavam anteriormente, levando-os à Fitbit. A Jawbone, que fabricava vestíveis fitness, encerrou sua participação no mercado em julho de 2017, atualmente em processo de liquidação.

No ano passado, ambas as empresas se enfrentaram nos tribunais por serem rivais neste segmento e, para a Jawbone, a Fitbit não estaria trabalhando nos conformes da lei, uma vez que teria "roubado" funcionários da rival. Agora, a empresa novamente acusa a Fitbit, desta vez por ter usado ex-funcionários para roubar seus segredos, incluindo patentes.

Cada um dos seis ex-funcionários, além do empregado que continua na Fitbit, acumula várias acusações. Cada um deles trabalhou na Jawbone por pelo menos um ano entre maio de 2011 e abril de 2015, supostamente tendo violado acordos de confidencialidade após suas saídas. Eles teriam sido recrutados pela Fitbit, levando segredos comerciais consigo, segundo os promotores. "O roubo de segredos comerciais viola a lei federal, sufoca a inovação e prejudica os legítimos proprietários dessa propriedade intelectual", declarou Alex Tse, advogado que trabalha no caso.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os réus devem prestar esclarecimentos no tribunal no dia 9 de julho. Vale lembrar que a Fitbit vem enfrentando uma queda no preço de suas ações, que colapsaram desde sua estreia na Bolsa de Valores de Nova Iorque há cerca de três anos. O valor que, antes, era de US$ 32,50 por ação, hoje caiu para cerca de US$ 7,42. A empresa já teria perdido mais de US$ 380 milhões entre 2016 e 2017, o que anulou dois anos anteriores de lucro. Ainda, o número de pulseiras fitness vendidas caiu de 22,2 milhões em 2016, para 15,3 milhões no ano seguinte.

Fonte: ARS Technica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.