Ex-funcionário processa Tesla após acidente que o deixou com queimaduras graves

Por Natalie Rosa | 25 de Maio de 2018 às 10h51
photo_camera Paul Kuroda
TUDO SOBRE

Tesla

A Tesla está sendo processada por um ex-funcionário após uma explosão elétrica em sua fábrica no dia 5 de junho do ano passado.

Son Nguyen trabalhava como empreiteiro na fábrica da cidade de Fremont, na Califórnia, quando uma explosão de arco voltaico o arremessou a entre 5 e 6 metros de distância, ficando com o corpo coberto em chamas.

O processo contra a montadora alega que o local o colocou em perigo "para aumentar a produtividade em detrimento de vidas humanas". Nguyen conta que a Tesla deveria ter cortado a eletricidade no equipamento em que estava trabalhando no momento do acidente, mas que a empresa teria se recusado a fazê-lo porque não queria parar a produção temporariamente.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Cicatrizes

Prestes a completar um ano do incidente, Nguyen hoje sofre dores constantes em suas queimaduras, que deixaram cicatrizes de enxertos de pele e um dedo da mão amputado. Hoje ele precisa usar uma roupa de compressão da cabeça aos joelhos.

O ex-funcionário ainda diz que sente dores nervais e que acorda sentindo como se "milhares de alfinetes e agulhas estivessem me cutucando". Ele ainda precisa passar por algumas cirurgias e tratamentos.

O trabalhador passou dois meses no hospital fazendo enxertos com pele da coxa e das costas nos braços, peito e pescoço, e precisou de seis meses até conseguir levantar as mãos.

"Eu me lembro de acordar após a cirurgia todo embrulhado. Eu estava apavorado. Pensei que estava morto. Quando eu penso no meu futuro, fico muito triste. Eu não sou quem eu costumava ser", desabafou Nguyen ao Reveal News. O ex-funcionário afirma que não quer que os colegas de trabalho passem pelo que ele passou e que deseja que a Tesla tenha um local de trabalho mais seguro a todos.

Resposta

Em comunicado, a Tesla afirmou que a culpa do acidente é de Nguyen por "não ter seguido os protocolos e regulamentos de segurança".

"Nós temos protocolos extensivos para evitar ferimentos causados pela segurança elétrica e esses protocolos devem ser seguidos por todos na fábrica, incluindo terceirizados. Infelizmente, isso não aconteceu neste caso. Desde então, aplicamos controles ainda mais rigorosos e nenhum incidente semelhante aconteceu", alegou a empresa em comunicado oficial.

As autoridades de segurança chegaram a acusar a empreiteira Mark III Construction, em que Nguyen era contratado como trainee, mas a ação registrada pelo ex-funcionário conta que a Tesla tinha o controle da empresa terceirizada, sendo, então, a responsável pela segurança no trabalho.

O processo de Nguyen contra a Tesla segue em andamento.

Fonte: Reveal News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.