Condenado por favorecer seus anúncios, Google recorre de multa recorde na Europa

Por Redação | 11 de Setembro de 2017 às 18h38

O Google vai recorrer da multa antitruste recorde de  US$ 2,7 bilhões de dólares que recebeu da Comissão Europeia. A empresa, que entrou com o recurso nesta segunda-feira (11), foi condenada por  favorecer seus próprios anúncios nas suas páginas de busca. A decisão sobre o recurso pode levar vários anos.

No mês passado, o Google informou que enviou à União Europeia detalhes como vai mudar suas práticas até 28 de setembro. Se não mudar sua estratégia, poderá receber multas adicionais.

O recurso ocorre mais de dois meses depois de o Google ter sido condenado com a maior multa já aplicada pela UE a uma empresa.

A apelação também acontece menos de uma semana depois que o Tribunal Superior da UE ordenou que uma instância inferior reexamine uma multa antitruste no valor de US$ 1,26 bilhão contra a Intel. A fabricante de chips foi condenada em 2009 por se engajar em práticas de vendas ilegais que arrochavam os concorrentes.

Mais duas investigações

A UE também está investigando se o Google exige que seus aplicativos sejam pré-instalados em dispositivos Android, o que impede a livre concorrência. Além disso, há uma segunda investigação sobre acusações de bloquear rivais em publicidade nas pesquisa on-line.