CNI defende jornada de trabalho de 80 horas semanais

Por Redação | 08 de Julho de 2016 às 17h13
photo_camera Reprodução/Portal da Indústria

Robson Braga, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), afirmou nesta sexta-feira (08) que a saída do Brasil da crise passa pela alteração radical das leis que regem as relações de trabalhos no país. Em conversa com o presidente interino Michel Temer e cerca de 100 empresários, Braga defendeu o aumento da carga de trabalho diária para até 12 horas e da jornada semanal para até 80 horas.

“Vimos agora o governo francês, sem enviar ao Congresso Nacional, tomar decisões com relação às questões trabalhistas”, expôs o presidente da CNI. “No Brasil, temos 44 horas de trabalho semanal. As centrais sindicais tentam passar esse número para 40. A França, que tem 36, passou para a possibilidade de até 80 horas de trabalho semanal e até 12 horas diárias de trabalho.”

Para Braga, a França teria perdido competitividade em relação aos demais países europeus após reduzir a jornada de trabalho para 36 horas semanais. “Agora, está revertendo e revendo suas medidas, para criar competitividade. O mundo é assim e temos de estar aberto para fazer essas mudanças. Ficamos ansiosos para que essas mudanças sejam apresentadas no menor tempo possível”, prosseguiu o industrial.

Mudanças na Previdência Social

Além das alterações nas leis trabalhistas, Braga defendeu também “medidas duras” na Previdência Social. “É claro que a iniciativa privada está ansiosa para ver medidas duras, difíceis de serem apresentadas. Por exemplo, a questão da Previdência Social”, comentou. “Tem de haver mudanças na Previdência Social. Caso contrário, não teremos no Brasil um futuro promissor”, concluiu.

Fonte: Agência Brasil

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.