Apple violou patente com recurso “Sign in with Apple”, diz empresa de e-mail

Por Rafael Arbulu | 08 de Outubro de 2019 às 18h30
Reprodução
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Novamente, a Apple se vê levada à Justiça nos Estados Unidos: segundo reportagem publicada no site Beebom, a desenvolvedora Blix — que criou o cliente de e-mail BlueMail — alega que a gigante de Cupertino violou uma de suas patentes ao criar e implementar a função Sign in with Apple, que permite que usuários se conectem a plataformas e serviços de forma a não compartilhar certas informações pessoais.

Pelo que alega a Blix, a empresa de desenvolvimento registrou uma patente de software anos antes, em que oferecia um serviço chamado “Share E-mail” (“Compartilhar E-mail”, na tradução literal). “A desenvolvedora do BlueMail diz ter patenteado a tecnologia em 2017 sob a função ‘Share E-mail’, a qual permite o envio de mensagens públicas em caráter anônimo, ao habilitar para um usuário um endereço público, sem revelar seu contato real de e-mail. A Apple em tese violou essa patente”, diz a reportagem.

O Sign in With Apple, foi originalmente anunciado durante a WWDC 19, em junho deste ano, e consiste, basicamente, em fazer com que rastreadores de terceiros não tenham acesso a dados de seus usuários, gerando IDs aleatórios exclusivos para cada programa autenticado. Inicialmente, o recurso foi anunciado como opcional, mas no dia seguinte à revelação do recurso, foi descoberto que o login com a Apple seria obrigatório em aplicativos com logins terceirizados.

Recurso de login que omite informações pessoais do usuário foi apresentado pela Apple, mas empresa de desenvolvimento acusa a gigante de Cupertino de roubo de tecnologia e violação de patente

Pelo processo movido contra a empresa, a Blix acusa a fabricante do iPhone 11 de roubo, levando-a à corte judicial: “Ela [Blix] formalizou um processo contra a companhia [Apple] no tribunal de Delaware, dizendo que a Apple roubou a função ‘Share E-mail’ e a integrou ao ‘Sing in with Apple’”.

Não é a primeira vez que a Apple e a Blix “batem cabeças”: anos antes do processo atual, a desenvolvedora do BlueMail alegou publicamente — e judicialmente — que a empresa de Cupertino artificialmente suprimia resultados de busca direcionados ao seu cliente de e-mail. A informação está anotada também no processo de violação de patente, com a ressalva de que essa foi uma disputa resolvida amigavelmente, o que levou o BlueMail a saltar nas buscas por mecanismos tradicionais, da posição 143 para a posição 14.

Como é praxe da política interna da empresa, a Apple não comentou o caso.

Fonte: Beebom

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.