Apple concorda em pagar US$ 25 milhões para empresa "troll de patentes"

Por Redação | 11.07.2016 às 08:59
photo_camera Divulgação

A Apple e a empresa Mirror Worlds fecharam um acordo na última sexta-feira (8) que vai culminar no pagamento de US$ 25 milhões pela Maçã por violação de patentes.

A patente em questão é a 6.006.227, datada de 1999. Ela descrevia um mecanismo de navegação por entre arquivos ao longo de uma linha do tempo cronológica. A plataforma foi originalmente desenvolvida na Universidade de Yale, nos EUA, em 1996, pelo professor e cientista David Gelernter e seu então aluno Eric Freeman, fundadores da Mirror Worlds, que por sua vez é subsidiária da Network-1 Techonlogies.

Em 2008, Gelernter e Freeman processaram a gigante de Cupertino porque a empresa teria copiado sua patente ao lançar o Cover Flow, um recurso semelhante usado atualmente pela Apple em seu sistema operacional para computadores, o macOS. O processo estendeu-se até 2010, quando a Maçã foi condenada a pagar US$ 625 milhões. A empresa recorreu da decisão e, dois anos depois, o juiz do tribunal de apelações reverteu a sentença ao dizer que as provas contra a Apple eram "insuficientes".

De volta a 2013, a Network-1 adquiriu a Mirror Worlds e todas as suas patentes. Contudo, a disputa entre ela e a Apple continuaram, e só terminou agora com o pagamento dos US$ 25 milhões pela companhia liderada por Tim Cook. Além de obter a licença de uso da tecnologia, cuja patente expirou neste ano, a Apple obteve direito a outras patentes do portfólio da Network-1, que não são exclusivas.

A Network-1 se descreve como uma "empresa envolvida no desenvolvimento, licenciamento e proteção de sua propriedade intelectual e tecnologias proprietárias" - a famosa "troll de patentes". No ano passado, a companhia fechou um outro acordo, desta vez com a Microsoft, que concordou em pagar US$ 4,6 milhões para encerrar um processo envolvendo a mesma patente.

Fonte: Network-1, MacRumors, The Verge