Tim Cook deve testemunhar em caso antitruste contra Apple

Por Redação | 13 de Março de 2013 às 17h25

Nesta quarta-feira (13), um juiz norte-americano decidiu que o CEO da Apple, Tim Cook, deve depor em uma ação que acusa a Apple de conspirar para fixar os preços de e-books. O magistrado citou a morte de Steve Jobs como um fator chave em sua decisão.

Inicialmente, a Apple não quis colocar Tim Cook para depor nessa ação e, inclusive, escreveu uma carta ao tribunal na última segunda-feira (11) dizendo que a denúncia original do governo não mencionou o nome do atual CEO da companhia.

De acordo com informações da Reuters, a Apple ainda alegou que, anteriormente, Cook era apenas o diretor operacional da empresa e que não possuía nenhum conhecimento sobre a decisão da Apple de entrar no mercado de e-books. Além disso, Cook não se lembraria de nenhuma "conversa particular" com Steve Jobs relevante para o caso.

Porém, parece que nenhum desses argumentos foi suficiente para que a juíza Denise Cote desistisse de convocar o atual CEO para depor. Por meio de uma teleconferência, ela citou a morte de Steve Jobs como uma razão fundamental para exigir o depoimento de Cook.

"Por causa dessa perda, eu acho que o governo tem o direito de tomar o depoimento de executivos de alto nível dentro da Apple sobre temas relevantes para seu caso", disse.

Em abril do ano passado, o Departamento de Justiça norte-americano processou a Apple e cinco editoras de livros por supostamente conspirar para fixar os preços de e-books no país. A Apple é a única ré remanescente no processo, já que todas as editoras citadas já se acertaram com a justiça.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.