Suposta formação de cartel no setor de TI é investigada no Distrito Federal

Por Redação | 15.02.2013 às 12:05

Empresas do setor de Tecnologia da Informação estão sendo investigadas por suspeita de formação de cartel em licitações públicas que acontecem no Distrito Federal. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) instaurou processo administrativo na última quinta-feira (14) para averiguar as suspeitas.

Cerca de sete empresas e dez executivos podem estar por trás de um esquema que visa afetar os preços das contratações realizadas via licitação para o governo do DF e também para o governo federal, segundo informações da Agência Brasil.

A Superintendência Geral do Cade divulgou uma nota dizendo que esse grupo de empresas "passava a manter intensa comunicação entre si" logo que os editais das licitações eram divulgados. A ideia era garantir a suposta divisão do mercado de serviços de TI entre elas.

O documento divulgado pelo Cade diz ainda que os executivos investigados costumavam trocar mensagens eletrônicas com informações comerciais que afetam a concorrência, como preço, clientes e condições de participação em licitações. Dessa forma eles poderiam elaborar estratégias para direcionar a disputa.

Após instauração do processo administrativo, as empresas serão notificadas e terão um prazo de 30 dias para apresentar sua defesa. As sete companhias investigadas são:

  • Vertax Redes e Telecomunicações Ltda.
  • Tellus S.A. Informática e Telecomunicações
  • Rhox Comunicação de Dados Ltda.
  • Netway Datacom Comunicação de Sistemas para Informática Ltda.
  • CDT Comunicação de Dados Ltda.
  • Alsar Tecnologia em Redes Ltda.
  • Adler Assessoramento Empresarial Ltda.

Já os executivos que podem estar envolvidos na formação de cartel são: Wellington da Rocha Mello Júnior, Ronei Souza Machado, Renato Batista de Oliveira, Rômulo Silva Nogueira, Rochely Maria Moura Leal Lima, Paulo de Assis Gomes, Margareth Brixi Tony de Souza, Fábio de Azevedo Montoro, Emílio Timo e Cristiane dos Santos Costa.