Samsung é condenada a pagar mais US$ 290 milhões à Apple por violação de patente

Por Redação | 22.11.2013 às 13:43 - atualizado em 22.11.2013 às 18:45

Em uma nova decisão do júri, a Samsung foi condenada a pagar US$ 290 milhões a mais para a Apple depois de ser considerada culpada por violação de patentes e identidades comerciais (trade dress).

No ano passado, a Samsung foi condenada a pagar US$ 1,05 bilhão à Apple em danos após ser considerada culpada por trade dress e violação de patentes. No entanto, a juíza Lucy Koh reduziu o valor da sentença para US$ 600 milhões depois de analisar o resultado e perceber que o júri tinha cometido um erro de cálculo de indenização em 13 smartphones e tablets da Samsung. Depois de um novo julgamento, a Samsung foi condenada a pagar os US$ 600 milhões.

Em um novo julgamento realizado ontem (21), que envolveu apenas a quantia de danos, o júri decidiu adicionar mais US$ 290 milhões na condenação da Samsung, elevando o total para US$ 890 milhões.

O valor decidido é menor do que o esperado pela Apple, que tinha pedido uma quantia de US$ 380 milhões a mais. A Samsung argumentou que devia apenas US$ 52 milhões a mais para a Maçã.

De acordo com o CNET e o San Jose Mercury News, a Apple chegou ao valor de US$ 380 milhões depois de calcular os prejuízos em lucros cessantes em cerca de US$ 144 milhões; os lucros da Samsung com uso das patentes – cerca de US$ 231 milhões; além de US$ 35 milhões em royalties. A Apple também argumentou ao júri que teria vendido mais 360.000 iPhones e iPads, se a Samsung não tivesse lançado seus aparelhos que infringiram as patentes.

Isso deve encerrar o primeiro caso de violação de patentes entre a Apple e a Samsung. Mas, de acordo com a Forbes, as duas empresas devem se encontrar novamente em um tribunal, em Março, para um novo julgamento perante a juíza Lucy Koh para examinar os smartphones e tablets mais recentes das empresas, incluindo o iPhone 5 da Apple e o Galaxy SIII da Samsung.

Pelo jeito, essa história de violação de patentes entre as duas empresas ainda vai longe...