Os documentos mostram: Samsung recusou acordos de patente com a Apple em 2010

Por Redação | 14.08.2012 às 16:00

Antes de bater o martelo pela primeira vez, em julho de 2011, Apple e Samsung se encontraram várias vezes em 2010, para tentar negociar um acordo no qual a sul-coreana pudesse, de maneira legal, utilizar as tecnologias e os designs que a maçã acusou de terem sido plagiadas. As informações são do TechRadar e do The Verge.

Como parte destas negociações, que ocorreram entre agosto e outubro de 2010, a Apple se ofereceu para licenciar à Samsung todas as tecnologias que levaram a sul-coreana a julgamento, devido à sua implementação ilegal em produtos como o Galaxy S.

Na semana passada, novos documentos judiciais foram divulgados, mostrando os termos exatos pelos quais a Apple estendeu o acordo de licenciamento com a Samsung, classificando-a como um "fornecedor estratégico", tentando, provavelmente, subverter a inevitável discussão no tribunal.

Se a Samsung tivesse concordado, pagaria uma quantia de aproximadamente 250 milhões de dólares em 2010, menos que o valor que a Apple estava pagando à sul-coreana pelos componentes fornecidos, e ainda menos que os 2,5 bilhões de dólares que a Apple está reivindicando agora nos tribunais.

De acordo com os documentos, a Apple propôs à Samsung, em 2010, o seguinte acordo: a Samsung pagaria, como royalties, uma taxa base de US$ 30 para cada smartphone touchscreen vendido e US$ 40 para cada tablet. Esse preço cairia para 10 dólares com o passar de dois anos.

Android, Windows Phone, Symbian e Bada teriam sido os smartphones incluídos no negócio.

Imaginando que a Samsung pudesse responder de maneira amigável ao acordo, a Apple também propôs uma estrutura de descontos de royalties, utilizando o Blackjack II (com sistema Windows Mobile) como exemplo.

Se o acordo tivesse sido realizado, a Samsung teria tido hoje um desconto total de 80%, incluindo os 20% do acordo de licenciamento cruzado para as patentes da própria sul-coreana.

Não é a primeira vez que as tentativas de acordo surgiram ao decorrer do julgamento: o TechRadar relatou em julho que a Apple se recusou a negociar licenças de rede 3G com a Samsung.

Agora, a Apple pretende se beneficiar com os lucros vindos da Samsung, porém de uma maneira totalmente diferente.