Hollywood não quer que usuários do Megaupload tenham acesso a seus arquivos

Por Redação | 31 de Outubro de 2012 às 13h59

Alguns estúdios e lobistas de Hollywood estão preocupados com a possibilidade dos usuários do Megaupload, fechado no começo deste ano, terem acesso a seus arquivos armazenados no serviço. E nesta terça-feira (30), a Motion Picture Association of America (MPAA) entrou com o recurso judicial para impossibilitar a retomada dos conteúdos pelos usuários.

A associação afirmou a um juiz federal no estado da Virgínia, Estados Unidos, que a possibilidade dos antigos usuários do Megaupload recuperarem seus arquivos pode agravar "a enorme conduta de compartilhamento ilícito já presente em outro processo criminal". Os servidores do Mega estão atualmente desconectados e os mais de 25 petabytes de dados estão armazenados em segurança no centro de armazenamento Carpathia Hosting.

Quando o FBI paralizou as atividades do Megaupload, os agentes federais também apreenderam materiais legais de usuários que utilizaram o serviço apenas para armazenamento e, desde maio, o cinegrafista de esportes Kyle Goodwin luta para obter seus arquivos protegidos por direitos autorais e ajudar outras pessoas na mesma situação.

Entrevista Kim Dotcom

Reprodução: CNET

A MPAA afirmou que quer participar de uma audiência para descrever a grande quantidade de conteúdos dos seus membros que foram utilizados ilegalmente através do serviço. Entre os membros da associação estão a Paramount Pictures Corporation, Walt Disney Studios Motion Pictures, Twentieth Century Fox Film Corporation, Universal City Studios LLC, Sony Pictures Entertainment Inc. e Warner Bros Entertainment.

Para a organização, o Megaupload e seu fundador, Kim Dotcom, representam os piores elementos no compartilhamento de arquivos na internet. "Isso não faz muito sentido para a MPAA, ou Megaupload, ou Carpathia, ou até mesmo o governo - apesar das ações contrárias - impedirem o acesso de terceiros à sua propriedade legal", afirmou ao CNET Julie Samuels, advogada da Electronic Frontier Foundation. "Essa ação não irá prejudicar apenas terceiros, mas também irá afetar negativamente os serviços de armazenamento na nuvem e seus clientes, que, para que a tecnologia funcione, precisam confiar que serão capazes de ter acesso a seus arquivos".

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos tem se negado a fornecer o direito a seus arquivos legais para Kyle Goodwin. No entanto, em junho, o advogado de representação do Megaupload, Ira Rothken, afirmou que a MPAA estava sinalizando uma mudança em sua postura sobre o retorno dos arquivos a usuários. "Estamos dispostos a trabalhar com o tribunal e as partes interessadas para ajudar a elaborar um processo que permita a usuários inocentes recuperarem seus conteúdos, garantindo que os usuários do Megaupload que usaram a plataforma para armazenar e distribuir conteúdo roubado não os consigam obter de volta", afirmou um porta-voz da associação na época.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.