Empresas de tecnologia declaram apoio ao casamento gay

Por Redação | 27 de Junho de 2013 às 16h35

A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu, nesta quarta-feira (26), em favor ao casamento de casais do mesmo sexo, em dois casos de grande repercussão no país. Com a decisão, a Corte garantiu direitos federais aos casais gays, antes proibidos devido à antiga lei em vigor no país, que definia que casamentos eram essencialmente a união de um homem com uma mulher, e abriu um novo caminho para a celebração da união de pessoas do mesmo sexo.

As empresas de tecnologia do Vale do Silício, na Califórnia, expressaram, em sua maioria, uma reação muito positiva acerca da decisão judicial. "A Apple apoia fortemente a igualdade no casamento e consideramos que isso seja uma questão de direitos civis. Aplaudimos a Suprema Corte por suas decisões de hoje", afirmou um porta-voz da Maçã ao site All Things D.

Esta não é a primeira vez que a Apple declara publicamente seu apoio ao casamento de pessoas do mesmo sexo, e até chegou a doar US$ 100 mil (R$ 218 mil) à campanha 'No on 8', contrária a Proposição 8, que tinha como proposta a proibição do casamento gay no estado da Califórnia. A Maçã também não foi a única empresa a se expressar sobre o assunto.

Google orgulho gay

O Google transformou sua barra de buscas em um arco-íris, algo que faz há alguns anos durante a semana do Orgulho Gay, quando os usuários procuram por termos como 'gay', 'lésbica', 'transgênero' ou 'bissexual'. A HP também se posicionou sobre a decisão, recontando sua história de apoio à comunidade gay. "A HP tem mais de 30 anos de parceria e participação em eventos do orgulho gay, e trabalha ao longo de todo o ano para se construir e fortalecer como uma instituição que valoriza todos seus funcionários, clientes e comunidades", afirmou Michael Thacker, presidente global de comunicação da HP Pride Employee Resource Group. "Nosso apoio à parada do orgulho em São Francisco neste ano é um grande exemplo de como a HP está comprometida com a diversidade, criando ambientes flexíveis para todos, dentro e fora da companhia".

O Facebook não se pronunciou publicamente sobre o assunto, mas Mark Zuckerberg, atual CEO da empresa, publicou uma mensagem em seu perfil logo após a decisão ser divulgada. "Estou orgulhoso de ver que nosso país está se movendo na direção certa, e estou feliz por muitos de meus amigos e suas famílias #OrgulhonosConecta", afirmou. A empresa também disponibilizou um emoticon com o arco-íris, símbolo gay, mas a iniciativa não está presente nos perfis brasileiros. Já o Instagram publicou em seu blog oficial uma foto da festa em comemoração à decisão da Suprema Corte.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!