Assange diz que deve deixar a Embaixada do Equador dentro de um ano

Por Redação | 03 de Setembro de 2012 às 15h56

O caso de Julian Assange, fundador do site Wikileaks, ainda continua aberto. Ele permanece abrigado na Embaixada do Equador em Londres. Porém, o ativista disse que poderá deixar o local dentro de seis meses ou até um ano.

Assange concedeu uma entrevista à televisão equatoriana Gama dentro da própria Embaixada. Ele continua afirmando que corre perigo de vida se for extraditado para os Estados Unidos, onde fez diversos inimigos devido às informações confidenciais que divulga em seu site.

"Acho que a situação se resolverá por meio da diplomacia ou por meio de um acontecimento incomum no mundo, como uma guerra com o Irã, a eleição nos Estados Unidos ou a desistência do caso por parte do Governo sueco", declarou Assange durante a entrevista.

O ativista acredita que seu caso possa ser abandonado pelas autoridades suecas. Além disso, ele também afirma que pretende levar adiante seu trabalho no site Wikileaks, divulgando informações privadas de nações e empresas poderosas.

Em relação às acusações de abuso sexual, Assange diz que não responderá sobre o assunto por meio da imprensa para não "terminar legitimando as acusações escandalosas".

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.