Apple não iria sofrer com a proibição de venda de iPhones e iPads, diz analista

Por Redação | 05 de Junho de 2013 às 16h40
photo_camera Guiky

A Samsung conquistou uma grande vitória na última terça-feira (4), quando um juiz entendeu que a Apple violou uma patente da sul-coreana e limitou a venda de alguns modelos de iPhones e iPads. Porém, a Apple deve sobreviver a essa proibição praticamente ilesa, de acordo com a opinião de Gene Munster, analista da Piper Jaffray.

Supondo que a decisão de violação de patente de envio de informações através de redes sem fio seja mantida, alguns dispositivos produzidos para rodar com a rede da operadora AT&T não poderão mais ser importados. Os produtos que podem ser atingidos pela decisão da Comissão Internacional de Comércio dos Estados Unidos (ITC) são o iPhone 4, iPhone 3GS, iPad 3G, iPad 2 3G e o iPad 3.

Dentre esses produtos, o iPhone 4 é o único com vendas mensuráveis e, de acordo com uma nota divulgada por Munster aos investidores da Maçã, a proibição não teria praticamente nenhum efeito sobre a companhia. De acordo com a CNET, o iPhone 4 contribuiu com cerca de 8% da receita global da Apple ao longo dos dois últimos trimestres, e as vendas do smartphone pela AT&T contribuíram ainda menos, com cerca de 2% da receita total.

Supondo que essas porcentagens permaneçam iguais, a proibição de vendas do iPhone 4 pela AT&T provocaria uma perda de 1% na receita da Apple ao longo dos próximos dois trimestres, o equivalente a cerca de US$ 680 milhões — uma quantia considerada como "dinheiro de cafezinho" para a companhia. E esse número poderia ser ainda menor, uma vez que os clientes da AT&T poderiam simplesmente comprar outro modelo de iPhone.

"O impacto real será provavelmente menos de 1%, dado que clientes da AT&T que não pudessem comprar um iPhone 4 poderiam comprar um iPhone 4S ou 5", disse Munster para acalmar os investidores. "Dado que o iPhone 4 será provavelmente aposentado no final de setembro, não deve haver impacto após o trimestre de setembro de 2013", completou.

Embora a decisão da ITC seja final, a Apple ainda pode recorrer ao Federal Circuit, um tribunal de apelações norte-americano, ou até mesmo pedir um adiamento para a Casa Branca, que tem o poder de aprovar ou desaprovar a decisão.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.