Apple enfrenta ação judicial no Brasil por 'obsolescência programada'

Por Redação | 21 de Fevereiro de 2013 às 16h18
Tudo sobre

Apple

Depois de perder o registro sobre a marca 'iphone' no Brasil para a Gradiente, a Apple está enfrentando uma nova ação judicial no país referente ao lançamento do iPad da quarta geração menos de um ano após a chegada do seu antecessor, o iPad 3, no país. O Instituto Brasileiro de Política e Direito da Informática (IBDI), ação civil em defesa dos direitos do consumidor, alega que o iPad 4 marca uma medida de "obsolescência programada".

Os representantes do Instituto alegam que o iPad da quarta geração, também conhecido como 'Novo iPad', não trouxe muitas inovações tecnológicas sobre o modelo anterior. A acusação afirma que o iPad 3 já poderia ter sido lançado com as modificações e recursos tecnológicos presentes no seu sucessor, e que a chegada do iPad 4 não foi comunicada aos consumidores. "O consumidor achava que estava comprando um equipamento de ponta, sem saber que já era uma versão obsoleta", afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo Sergio Palomares, advogado do IBDI.

A ação, enviada à 12ª Vara Cível do Distrito Federal, afirma que os consumidores se sentiram lesados com o lançamento do novo tablet pouco tempo depois do iPad 3 - o iPad 4 chegou ao mercado norte-americano sete meses após o lançamento do iPad 3 e no Brasil, o novo dispositivo chegou apenas cinco meses depois. O lançamento precoce de uma nova geração do tablet gerou muita insatisfação entre os consumidores norte-americanos e brasileiros.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

iPad 4

Reprodução: AppleInsider

Na época, a Apple também afirmou que iria substituir os iPads 3 adquiridos menos de 30 dias antes do lançamento da nova versão, o que, segundo Palomares, gera um precedente contra a empresa. Com base nesse cenário, a acusação quer que a Justiça brasileira determine a troca dos iPads comprados por brasileiros sem custo adicional e a empresa também poderá ser condenada a indenizar os consumidores em 50% do valor do tablet quando foram adquiridos.

Além disso, os autores do processo alegam que a prática da Apple causou não apenas um dano individual para os consumidores, mas também um dano coletivo e exige a cobrança de uma multa de 30% do valor médio, de R$ 607,20, de cada unidade vendida no país - caso uma decisão judicial não seja cumprida pela Apple, a ação prevê o pagamento de multa no valor de R$ 1 milhão.

O IBDI também entrou na última sexta-feira (15) com um pedido de liminar para impedir que a Apple venda unidades do iPad 3 e fazer com que todos os aparelhos fossem retirados das lojas. A liminar foi negada pelo juiz que cuida da ação, Daniel Felipe Machado. A Apple, por sua vez, afirmou que não foi comunicada sobre essa ação judicial.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.