Afinal, quem deve ficar com o domínio .amazon: a Amazônia ou a multinacional?

Por Redação | 23 de Novembro de 2012 às 14h47

Essa história de permitir que as empresas registrem nomes genéricos em domínios de mais alto nível tem gerado algumas discussões. A Amazon, por exemplo, está solicitando judicialmente o registro '.amazon' para si. Do outro lado, Brasil e Peru querem o mesmo domínio para representar a Amazônia.

A ICANN, responsável pela coordenação global do sistema de identificadores exclusivos da Internet, foi notificada pelos dois países - com o apoio da Bolívia, Equador e Argentina - da importância que o registro teria para os envolvidos e, principalmente pela luta que travam para promover a proteção da natureza.

"Conceder o direito exclusivo deste gTLD [nome de domínio genérico de nível superior] para uma companhia privada iria impedir o uso do domínio para fins de interesse público relacionados à proteção, promoção e divulgação de questões relacionadas ao bioma da Amazônia, além de dificultar o possível uso desse domínio para congregar páginas relacionadas à população que habita esta área geográfica", diz o documento em defesa do domínio para a Amazônia, conforme informações do Gizmodo.

É claro que a Internet é um ponto crucial para a disseminação da Amazônia, que é de interesse público, mas o problema é que a questão envolve dinheiro. E não é pouco.

A multinacional já investiu uma nota para dar entrada no pedido de registro do domínio que leva seu nome, foram US$ 185 mil, cerca de R$ 380 mil. Caso a companhia resolva colocar a mão na consciência e deixar que o Brasil e o Peru ganhem essa causa em prol da natureza, ela vai perder 20% desse valor, recebendo de volta US$ 148 mil.

E você, acredita que existe alguma chance da Amazon desistir desse pedido de registro de domínio?

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.